Topo

Jogos

Análises


Tokyo Jungle

Claudio Prandoni

Do UOL, em São Paulo

2012-10-24T11:41:43

24/10/2012 11h41

"Tokyo Jungle" brilha como uma das produções mais originais e divertidas de 2012. A combinação de elementos consagrados de jogos de ação, espionagem e sobrevivência casa bem com a temática inusitada e - mesmo com visual defasado, digno de algumas das primeiras produções do PlayStation 2 - empolga pela experiência variada.

Introdução

Os seres humanos sumiram misteriosamente do planeta Terra, deixando para trás nas cidades todos os bichinhos de estimação e animais selvagens dos zoológicos.

Anos depois, as metrópoles do mundo inteiro viraram, de fato, selvas de pedra, com bandos de animais brigando pela sobrevivência. "Tokyo Jungle" nasceu como um projeto experimental, exclusivo para o Japão, e acabou aparecendo aqui no ocidente via download.

O objetivo é assumir o controle de um animal e sobreviver, lutando contra predadores, criando famílias e levando adiante as gerações posteriores. Um dos atrativos é a possibilidade de escolher dentre dezenas de espécies, desde cãezinhos e gatos até ursos, dinossauros e outras surpresas.

Pontos Positivos

Original e inusitado

Em resumo, "Tokyo Jungle" é um jogo de ação em que você pode atacar outros animais e deve se alimentar para sobreviver - comendo plantas se jogar com um herbívoro, caçando se for carnívoro.

O tempo todo você conta com uma série de desafios para realizar que, uma vez vencidos, melhoram atributos como ataque, velocidade e defesa da sua criatura. Eventualmente, é necessário dominar uma área (o que é feito cheirando quatro pontos específicos do cenário) e conquistar uma fêmea para acasalar, ter filhotinhos e continuar o legado.

O bacana é que o jogo trabalha com elementos aleatórios em cenários fixos. Por mais que você saiba o desenho das fases (que, convenhamos, poderiam ser mais numerosas), as condições mudam a cada partida e com o desenrolar dos anos.

De repente, seu ninho pode virar um lugar tóxico e só resta fugir para o bairro vizinho que, infelizmente, você descobre ser o lar de uma matilha de lobos que vive brigando com um tigre.

Ou então o distrito comercial ali pertinho passa por um período com poucos alimentos. Enfim, cada partida é diferente e dá a chance de o jogador empregar um pouco de imaginação e escrever sua própria história.

Isso quando não ocorrem eventos especiais que desafiam, por exemplo, você a encontrar o chefe das gazelas ou então vencer um harém de leoas. Desafios vencidos não apenas evoluem seu bichinho, mas também liberam outras criaturas para jogar em novas partidas.

Além disso, há também um modo história, com fases e enredos próprios - que eventualmente até explicam o sumiço dos seres humanos. Inclusive, há uma relação entre a campanha e o modo de sobrevivência, já que é necessário coletar registros como notícias de jornal e blogs no segundo para abrir mais fases.

Variedade de animais

"Tokyo Jungle" capricha bastante na lista de criaturas disponíveis e há muitas diferenças entre uma e outra. Logo de cara há o contraste entre carnívoros e herbívoros, já que o primeiro deve jogar mais no ataque, enquanto o outro precisa aperfeiçoar a fuga e defesa.

Cachorrinhos leves e fracos são bem diferentes de jogar com um leão ou um urso e ainda há espaço para criatividade e irreverência, com a presença de crocodilos, cangurus e até mesmo dinossauros. Pena que muitos bichos podem ser liberados apenas comprando com dinheiro real pela PS Store.

Pontos Negativos

Gráficos datados

Por mais criativo e divertido que seja, "Tokyo Jungle" sofre com o visual ultrapassado. A movimentação dos bichos até convence, mas a simplicidade dos modelos, cenários e texturas é inadmissível a esta altura da vida do PlayStation 3 - mesmo para um jogo exclusivo por download.

Online irritante

"Tokyo Jungle" possui apenas modo multiplayer local, mas conta com conexão à internet. Basicamente, a função serve apenas para registrar recordes de pontuação em tabelas online e comprar animais, mas o serviço é todo muito mal implementado.

Não é possível pular a parte de registro de pontuação e aí você é obrigado a aguentar o lento processo. Para piorar, toda vez que você ligar o jogo será  obrigado a rolar por todo o texto de termos de uso online e aceitar - algo totalmente sem sentido, por que não fazer isso apenas uma vez como em outros jogos?

Nota: 8 (Ótimo)