UOL BUSCA
PC
Notícias Análises Previews Galerias Fórum Vídeos
Nintendo
Notícias Análises Previews Galerias Fórum Vídeos
Sony
Notícias Análises Previews Galerias Fórum Vídeos
Xbox
Notícias Análises Previews Galerias Fórum Vídeos
DesafiosDownloadsFórumJogos Online
Atrativa Banana Games Cruzadas.net Fliperama Jogue no Charges Meteorus Ryudragon Sodoku Xadrez Online Web Jogos
Loja de jogos
SuperGames Ragnarok Priston Tale
NotíciasReportagensRevistas
Finalboss Fliperama Full Games Gamehall GamesBrasil IDG Now!
ServidoresTV UOLVideopodcast

RECEBA O BOLETIM
UOL JOGOS

Publicidade


Análises
Tourist Trophy
PlayStation 2
"...o mais meticuloso game de corrida de motos da atualidade, para o delírio dos fanáticos..."


03/04/2006
da Redação

A produtora Poliphony Digital fez sua fama com um dos simuladores de corrida mais competente para PSOne e PlayStation 2, a série "Gran Turismo", e agora também parece visar o lugar mais alto do pódio no mundo das corridas de moto, que, se por um lado não há muitos competidores, os que estão no páreo são da mais alta categoria, como é o caso de "MotoGP" da THQ.

"Tourist Trophy" pode se definido como o "Gran Turismo 4 de duas rodas", em parte, porque usa as mesmas tecnologias desenvolvidas para a série de carro, que garante o visual e a simulação de física realistas que a tornou famosa, mas sem esquecer das particularidades do tipo de veículo que se pilota aqui. A reciclagem desta tecnologia, que já provou ser excelente, garante alguns padrões de qualidade, mas faltou ao título a mesma fartura de conteúdo, além de não trazer, novamente, uma modalidade online, da qual a produtora está em dívida com os jogadores faz algum tempo.

Velocidade sobre duas rodas

"Tourist Trophy" é um jogo de corrida de moto com características de simulador e a comparação com "Gran Turismo" é inevitável, pois ambos dividem a mesma filosofia. Assim como o irmão de quatro rodas, este título não é para novatos. Simuladores, em geral, devido às suas minúcias, não são um tipo de game muito amigável para jogadores casuais e os títulos da Poliphony Digital não fazem concessões: o intuito é fazer com que o jogador consiga desfrutar o que o jogo tem a oferecer com seu próprio esforço. Mas é certo que a barreira é muito alta para quem nunca viu um simulador na vida.

O título é sem dúvida o mais meticuloso game de corrida de motos da atualidade, para o delírio dos fanáticos por esses veículos de duas rodas. Não apenas a máquina pode ser ajustada e modificada em cada uma das partes, mas também detalhes do piloto, como seu estilo de pilotagem, principalmente no que diz respeito ao posicionamento do corpo.

Sem um multiplayer forte, o modo de carreira é o principal de "Tourist Trophy", que guarda muitas semelhanças com a série "Gran Turismo", mas traz uma mudança fundamental: aboliu o sistema de dinheiro. Apesar de o método neste jogo ser menos realista, também é menos tedioso, pois evita que o jogador corra sempre as provas apenas em troca de dinheiro para comprar mais carros - e, de administração de finanças, já basta a vida real.

Em vez disso, "Tourist Trophy" traz, dentro do modo de carreira, uma opção chamada Challenge. Ali, você simplesmente escolhe a moto e participa de um desafio, que lembra muito o modo Mission de "GT4". Os objetivos variam de máquina para máquina, e incluem uma corrida tête-a-tête contra um corredor que larga na frente ou uma prova para quebrar o recorde de uma pista. Enfim, o que vale aqui é a capacidade de dominar a moto que você pretende ter, afinal, de que adianta uma Kawasaki Ninja se você perde para uma Honda Biz?

Esse método premia a habilidade em vez da paciência. Quem for bom, poderá ter tantas motos estiverem disponíveis, bastando vencer os desafios, de dificuldade proporcional à potência da máquina. Por outro lado, obriga os jogadores a ter um nível técnico compatível com a máquina desejada. Pode ser frustrante enquanto não conseguir vencer as provas, mas isso é recompensado quando finalmente superar o desafio. E a habilidade é necessária, pois as corridas de fato são tão difíceis quando o Challenge.

De volta à auto-escola

Mas antes mesmo de desejar essas motos mais potentes, você ainda precisará provar que tem o mínimo de manejo. Sim, os famosos testes para habilitação também estão em "Tourist Trophy", com todas as particularidades que requer essas máquinas de duas rodas. Os testes também servem como um tutorial e também para sentir as primeiras dificuldades do game.

De nada adianta tentar aplicar as técnicas de "Gran Turismo". Aliás, nesse caso, você perceberá o quão diferentes são ambos em dirigibilidade. A discordância básica está nas curvas: deitar a moto demais em velocidades incompatíveis ou frear bruscamente neste estado significa a queda, que, em muitos casos, significa eliminação imediata. Mais do que na edição para carros, colocar a roda para fora da pista é meio caminho para cair da moto. Felizmente, neste modo, existe uma guia no chão que não apenas sugere um traçado, mas também se o jogador deve frear ou acelerar nos mais variados pontos da trajetória.

Os freios também diferem. Dependendo de como combinar o uso do breque dianteiro e posterior, o comportamento da máquina varia, principalmente nas curvas. O traseiro, por exemplo, faz com que a roda de trás deslize, útil para superar determinadas situações. A modalidade normal de controle traz um botão para acionar os dois freios de uma vez e outro para o dispositivo de trás. Na "pro", cada um dos breques podem ser acionados de forma independente, permitindo um controle mais preciso, porém mais complexo.

A licença básica cobre quesitos primários, como frenagem e o domínio de curvas, por exemplo, mas passarão a ficar cada vez mais especializadas conforme sua progressão. No total são quatro níveis de habilitação. Depois de conseguir o documento, é partir para o Challenge para obter a melhor moto para cada uma das categorias de corrida, que somam mais de vinte.

É possível vencer as corridas usando apenas os ajustes de fábrica, mas o desempenho pode ser alterado mexendo em diversos quesitos da máquina, como suspensão, freios, pneus, escapamento e transmissão. Mas tão ou mais importante que isso é o ajuste do posicionamento do piloto, além de sua altura (que é definido quando o jogo é iniciado). São onze quesitos editáveis, que vão desde a inclinação da cabeça até a dos joelhos, passando pelo deslocamento dos quadris ou o ângulo do corpo nas curvas.

Enfim, numa moto, esses detalhes influem na velocidade de fazer as curvas: pode-se priorizar a facilidade com que vira a moto ou a velocidade, ou um meio-termo. Como curiosidade, existe até um estilo de montaria própria para "motard", que são aqueles veículos pequenos, de 50 cilindradas.

"Tourist Trophy" também conta com um modo arcade, que permite partidas sem compromisso. Mas, além de um jogo multiplayer um-contra-um, não há mais nenhuma opção de jogo. Mais uma vez, a produtora não incluiu um modo online. O número de provas do modo de carreira também não é tão farto como em "Gran Turismo 4", além de oferecer menos modelos de veículos, cerca de 100, contra os mais de 700 carros do game anterior da Poliphony Digital. Há pistas originais, mas parte delas foram recicladas, com pequenas diferenças no desenho dos circuitos.

Herança de GT4

As qualidades técnicas são as mesmas de "Gran Turismo 4", pois dividem a mesma tecnologia. Os controles são geralmente precisos, com freios e aceleradores de vários níveis intensidade, dependendo da pressão que fizer com os botões. Mas, com o controle normal é difícil controlar esses níveis. Isso pode ser, em parte, solucionado usando o segundo analógico, mas nem todos gostam deste método de controle. Apesar de ótima simulação de física, não foi implementado um sistema de danos.

Novamente, a produtora fez uma apresentação belíssima, uma verdadeira ode à motovelocidade, com uma edição de cenas brilhante. Mas o visual do game em si pode deixar a desejar, pois está um pouco mais deserto que de costume: agora são no máximo quatro corredores por tela. Em sua defesa, a produtora pode alegar que animar motos é muito mais complicado que carros, principalmente porque não é possível omitir o piloto.

Aliás, as animações dos corredores são soberbas. Mas, se durante o jogo os gráficos não chegam a impressionar, nos replays a produtora, novamente, mostra seu tradicional senso artístico para criar um espetáculo. Todos os detalhes omitidos nas provas são ativados e o resultado surpreende. Aqui, as motos ficam em destaque, pois o fundo fica desfocado.

Há várias maneiras de assistir aos replays, mas um dos mais emocionantes é um que se assemelha às transmissões da TV, com câmeras em pontos estratégicos. A lataria das motos reflete o ambiente, como se estivesse lustrada, e os pilotos se mexem nos mínimos detalhes: é possível perceber o momento da aceleração ou das frenagens, pois sua mão denuncia essas ações. Você pode guardar essas belas imagens para a posteridade, pois é possível fotografar essas cenas no Photo Mode. Porém, desta vez, além de possui uma grande gama de ajustes, sua obra pode virar imagens com extensão jpg, ser passado para uma memória USB específica e imprimir no computador.

Os fanáticos por motos podem comemorar, pois cada um dos modelos foi transposto fielmente para dentro da tela, em todos os detalhes, principalmente, nos replays. São todos modelos reais de marcas famosas, como Honda, Yamaha, Suzuki, Kawasaki, BMW e Ducati. No catálogo estão desde "scooters" até modelos com mais de mil cilindradas - um verdadeiro foguete -, ou seja, mais potente que um carro popular.

O visual das pistas está similar a "Gran Turismo 4", com a diferença que o asfalto parece estar um pouco mais definido. Em geral, as pistas estão representadas com fidelidade, principalmente no traçado: estão lá todas as curvas e as inclinações em cada parte do circuito. Tudo isso se mexe em estáveis 60 quadros por segundo, como é de tradição.

Já a trilha sonora, ainda que lembre a série de carros, parece um pouco menos inspirada. O destaque fica para a reprodução dos motores, diferente para cada modelo. Na visão de primeira pessoa tem até o barulho do vento sendo abafado pelo capacete, tentando dar a idéia de estar pilotando uma moto em grande velocidade.

Troféu garantido

"Tourist Trophy" traz praticamente os prós e contras de seu irmão de quatro rodas, ou seja, se dá bem na representação das máquinas - agora também dos pilotos -, seja no aspecto visual ou na simulação de física, mas continua sem modo online ou sistema de danos, dois quesitos sempre criticados na série de carros. Além disso, tem menos conteúdo.

O título possui o sistema de ajuste mais detalhado entre os games de motos, mas em termos de intensidade de experiência, talvez ainda perca para a série "MotoGP" da THQ. Mesmo assim, trata-se de um dos melhores do gênero e, se tem impressão de que ainda há espaço para muitos aperfeiçoamentos, quem sabe numa eventual continuação. Os fãs de simulação e de motos provavelmente amarão o game, mas iniciantes precisarão ralar muito para poder começar a vencer as primeiras provas. Se você for perseverante, uma hora será recompensado.
Veja também
Videoanálise de "Tourist Trophy" na TV UOL