08/06/2012 - 16h27

E3 2012: com mais liberdade, "Beyond: Two Souls" expande gênero de "Heavy Rain"

Akira Suzuki
Do UOL, em Los Angeles

Ao lado de "The Last of Us", "Beyond: Two Souls" é uma das obras exclusivas mais importantes da biblioteca do PlayStation 3 nos próximos meses.

Previsto para sair no primeiro trimestre de 2013, o game é a mais nova empreitada de David Cage, autor dos cultuados "Indigo Prophecy" e "Heavy Rain".

O game abriu a conferência da Sony e Cage apresentou sua nova cria para o mundo. Ali foi revelado que a protagonista Jodie Holmes é interpretada pela atriz canadense Ellen Page, famosa por filmes como "Juno", pelo qual foi indicada pelo Oscar em 2007, e "A Origem".

"BEYOND" ABRIU A CONFERÊNCIA DA SONY NA E3 2012

  •  

O trailer mostrou a protagonista Jodie Holmes, modelada à imagem de Page, numa delegacia. O xerife não sabe o que fazer, já que ela se cala totalmente. Nesse tempo, a SWAT cerca o local, e é quando Holmes mostra seu poderes sobrenaturais.

Algumas das perguntas que ficaram no ar no primeira trailer foram respondidas por uma sessão de demonstração ao qual UOL Jogos teve acesso. Os poderes não são, ou não parecem ser, da personagem, mas de uma "entidade", algo como um fantasma ou um espírito, com a qual Holmes mantém ligação umbilical. Eis as duas almas que o título do game parece estar se referindo.

Mas o que é essa entidade, que a garota chama de Aidan, e por que estão ligados é um dos grandes mistérios de "Beyond: Two Souls". O game acompanha 15 anos da vida de Holmes, desde a infância até a vida adulta (o trailer mostra a personagem com 23 anos).

"'Beyond' é sobre crescer, aceitar a diferença, mas também sobre a morte, porque essa entidade vive entre nosso mundo e o outro lado", explica Cage. "Essas são algumas das coisas que Jodie vai confrontar em sua vida, e talvez ela consiga descobrir o que está do outro lado da vida".

ASSISTA AO TRAILER LEGENDADO DE "BEYOND"

  •  

Drama interativo

Como gênero de jogo, "Beyond: Two Souls" é um herdeiro direto de "Indigo Prophecy" e, principalmente, de "Heavy Rain". É um título calcado na linguagem do cinema, e, por isso, os jogos de David Cage parecem filmes.

Como "Heavy Rain", atores de carne e osso dão vida aos personagens dentro do jogo: não se trata apenas de emprestar a voz, mas também sua imagem, gestos e expressões faciais, enfim, um pacote completo de atuação. Para a atual projeto, Cage disse ter usado a mesma tecnologia do filme "Avatar", de James Cameron.

O resultado disso são personagens verossímeis, com impressionante fidelidade e ricas expressões corporais e faciais. Ficou incrível em "Heavy Rain", e está ainda mais em "Beyond".

Embora aclamado, o game de 2010 é criticado por conter poucos elementos de game, reduzindo o jogador a uma marionete, que deve apertar botões e mexer a alavanca quando solicitado, ao que se dá o nome de Quick Time Event (QTE). Isso é algo que "Beyond" tenta conter. Sim, ainda é muito dependente dos chamados QTE, mas, se a demonstração é uma indicação, haverá mais partes em que o jogador poderá mexer livremente os personagens.

Beyond: Two Souls
Beyond: Two Souls

Opa, personagens, no plural? Sim, porque o jogador controla tanto Holmes como Aidan. E é no comando da entidade que reside a maior inovação em relação a "Heavy Rain". O espírito, que é conduzido girando o controle, tem vários poderes. É capaz de mover e destruir objetos, e de atravessar paredes, por exemplo. Tudo com que Aidan pode interagir aparece envolto por uma aura. As ações são feitas com as duas alavancas.

No entanto, a utilização mais surpreendente do espírito é a de possuir outros corpos. Esse parece ser o principal recurso para avançar no game. Na cena da delegacia, em que Jodie fica cercada, Aidan vai possuindo um a um: com o atirador de elite, elimina três policiais, e com o piloto de um helicóptero, faz espatifar a aeronave no chão. Eventualmente, com pessoas que exalam aura vermelha, Aidan pode até matar diretamente.

"Beyond: Two Souls" deixou uma impressão positiva. Nem tanto pelo fato de ter mais ação e liberdade, mas pela expectativa de mais uma boa história e um roteiro lindamente interpretado. Se seguir o mesmo caminho de "Indigo Prophecy" e "Heavy Rain", as expectativas são as melhores possíveis.

Tags Beyond: Two Souls , PS3 , Adventure , E3 2012 , Impressões de jogos

  • http://jogos.uol.com.br/ultimas-noticias/2012/06/08/e3-2012-com-mais-liberdade-beyond-two-souls-expande-genero-de-heavy-rain.htm
  • E3 2012: com mais liberdade, "Beyond: Two Souls" expande gênero de "Heavy Rain"
  • 15/09/2014
  • UOL Jogos - Notícias
  • UOL Jogos
  • @UOLJogos #UOL
  • 1

Veja mais

Últimos Comentários