16/08/2012 - 16h05

Testamos: "FIFA 13" mostra tímida evolução e partidas mais rápidas

André Forte

A escolha por Lionel Messi como garoto propaganda pode significar mais do que uma simples jogada de marketing mais agressiva para "FIFA 13". Assim como o craque argentino, o jogo da EA quer apresentar um futebol mais dinâmico e bonito graças às pontuais, mas interessantes evoluções em relação ao ótimo jogo de 2012.

À convite da EA, UOL Jogos testou uma versão preliminar do jogo que conta com as mais atuais alterações feitas pelos desenvolvedores até o momento e pôde constatar algo até óbvio, mas que pode até decepcionar os jogadores sedentos por grandes novidades: o jogo pode ser considerado um "FIFA 12 2.0" dada a tímida quantidade de inovações.

Óbvio, pois a versão do ano passado já contou com uma série de mudanças que transformou a série na mais realista simulação de futebol já lançada até então, logo, é até esperado que a EA não queira mexer tanto em um time que além de estar ganhando, recebeu uma série de respostas positivas de seus jogadores na atual temporada.

Nos últimos anos, FIFA mostrou um robusto e realista motor de física da bola, mas mesmo com tanta evolução, as partidas ainda careciam de velocidade nos ataques.

FIFA 13
FIFA 13

Mais rápido e dinâmico

Agora, o jogador pode esperar por partidas mais dinâmicas, graças ao novo sistema de dribles e às animações mais rápidas e fluídas.

TIMES DESATUALIZADOS

No teste realizado por UOL Jogos, "FIFA 13" ainda contava com times desatualizados. O Palmeiras, por exemplo, já contava com o goleador Barcos, mas deu para notar a ausência de Obina. Além disso, diversos clubes ainda estavam sem licença, já que a EA afirma estar ‘negociando’ e, talvez por esse mesmo motivo, os uniformes eram os mesmos de 2011.

Bastou alguns minutos de jogo para notarmos que os jogadores com a bola dão ‘arrancadas’ mais velozes, mudam a trajetória da bola com mais agilidade, o que, combinado a um novo sistema de dribles similar ao de "FIFA Street", deixou o jogo ainda mais divertido.

Entretanto, nem tudo representa facilidade para os atacantes. O First Touch Control evoluiu a forma como os jogadores tratam a bola no primeiro toque, dependendo da sua habilidade e outras situações de jogo.

Não foram raras as situações em que os jogadores deixaram a bola escapar dos pés, seja em alta velocidade, seja em alguma tentativa frustrada de drible.

Isso criará certamente mais momentos de incerteza na partida, aumentando também a possibilidade da defesa recuperar a bola dos adversários mais ‘fominhas’.

Fim das falhas de colisão

Ok, "FIFA 12" foi alvo das mais diversas críticas devido ao seu 'inovador' sistema de colisão, que, apesar de deixar as partidas muito realistas, era capaz de criar situações inusitadas como jogadores se embolando pelo campo e até um caloroso beijo entre os atletas.

ARENA DE ATIVIDADES


A arena que servia para entreter os jogadores entre os carregamentos do jogo está de cara nova. Agora, os jogadores podem testar suas habilidades em atividades similares aos minigames de "Virtua Tennis", com direito a alvos fixos e móveis para acertar os chutes e obstáculos para driblar.

Agora, a EA revisou esse problema com a segunda geração do motor de física Impact Engine, o que, além de acabar definitivamente com os problemas técnicos, foi capaz de oferecer ainda mais realismo. De fato, no teste realizado, pudemos constatar uma luta ferrenha pela bola e pelo melhor posicionamento em campo.

Em muitos momentos foi possível notar os zagueiros dando ‘trancos’, empurrando e puxando os atacantes, que muitas vezes revidavam com jogo de corpo para derrubar seus rivais da defesa. Da mesma forma, ambos usavam seu tamanho e força para tirar vantagem, quase sempre vencida pelos truculentos zagueiros.

Muito interessante também foi notar a forma como os jogadores com a bola reagem quando pressionados. Muitas vezes, os meias davam passes errados ou esquisitos para tentar se livrar da marcação dos zagueiros e até escorregando ao tentar pegar uma bola mais difícil.

Além disso, os atacantes muitas vezes ‘isolavam’ a bola em oportunidades em que a gorduchinha não era dominada com facilidade, ou então quando posicionados em algum lugar do campo de muita marcação.

Tudo em "FIFA 13" deve ser levado em conta nessas horas. Não basta apenas acreditar que o jogador tem boa habilidade de chute. A posição da bola, o domínio da própria, o espaço para o arremate e até a condição climática podem contribuir para o êxito do tiro.

"FIFA 13" tem lançamento agendado para o dia 4 de outubro e está previsto para chegar no PC, PlayStation 3, Xbox 360, PS Vita e Wii U. A versão nacional terá menus e narração em português por Tiago Leifert e comentários de Caio Ribeiro.

O QUE NOTAMOS EM "FIFA 13"

Rostos mais realistas para os jogadores mais famosos do futebol internacional
Neymar e alguns poucos jogadores do Brasileirão com feições mais realistas
Novas cenas de pré-jogo, com direito a formalidades entre capitães e árbitros
Modo carreira perdeu a opção de controlar jogador e treinador ao mesmo tempo
Adiantar demais a barreira em cobranças de falta pode render cartão amarelo
Agora é possível mudar o horário do inicio dos jogos e até a estação do ano

TRAILER MOSTRA AS NOVIDADES DE "FIFA 13"

  •  

Tags FIFA 13 , PC , X360 , PS3 , Wii U , PS Vita , Esporte , FIFA

  • http://jogos.uol.com.br/ultimas-noticias/2012/08/16/testamos-fifa-13-mostra-timida-evolucao-e-partidas-mais-rapidas.htm
  • Testamos: "FIFA 13" mostra tímida evolução e partidas mais rápidas
  • 22/12/2014
  • UOL Jogos - Notícias
  • UOL Jogos
  • @UOLJogos #UOL
  • 1

Veja mais

Últimos Comentários