Topo

Jogos

Análises

Mario Super Sluggers

03/09/2008 17h48

O beisebol é o esporte favorito dos norte-americanos, como a própria Major League de lá gosta de anunciar, mas para a maioria dos brasileiro soa como um bicho de sete cabeças, assim como outras modalidades pouco populares por aqui, como o futebol americano e o golf. Mas que tal tentar encarar tal enigma com um jogo que melhora a mecânica de "Wii Sports" e conta com a grife de Mario como atrativos principais? Parecem ser bons motivos para explorar este "Mario Super Sluggers", mesmo que beisebol não seja seu forte.

Simples e divertido

Claro que, voltado para um público mais jovem ou casual, jogar beisebol com a turma do encanador da Nintendo não é algo nem próximo da realidade. São partidas bastante simplificadas, especialmente no que diz respeito aos controles e movimentação de jogadores, que contam ainda com movimentos especiais característicos dos personagens e itens de trapaça ao estilo "Mario Kart".

Os controles
Na realidade, tudo foi tão diluído que se tem pouco poder sobre seus atletas. As três opções de controles possuem diferentes níveis de automação, mas mesmo utilizando a mais complexa, juntando o Wii Remote com o Nunchuck, você nunca tem comando pleno de seu time. As rebatidas não sentem grande diferença na velocidade em que você movimenta o controle ou o ato de mover seus corredores pela base é comandado por apenas um toque de botão, para citar alguns momentos críticos nas partidas. É um jogo para explorar sem muito compromisso, de preferência na companhia de amigos em uma reunião descontraída, já que aqueles que tentarem levá-lo a sério irão se desapontar com tais limitações e a pouca iniciativa dos personagens controlados por computador.

Levando na brincadeira, há muita coisa para explorar. Além de um bom tutorial, que explica todos os passos e momentos do jogo, há modos como o de treino, exibição e minigames relacionados ao esporte - com um toque do universo Mario, como um em que se deve pegar as bolas desviando de balas de canhão e cascos de tartaruga. São cerca de 25 personagens disponíveis logo no início, além da possibilidade de habilitar cerca de outros 15 e a de importar seu Mii para dentro da jogatina.

Como complemento foi disponibilizado também um modo chamado Challenge, para um jogador. É basicamente um pequeno adventure, em que você deve explorar o mapa, falar com outros personagens e aceitar desafios para conseguir novos atletas e formar seu time. É um toque bastante interessante, que reforça o pacote entre aqueles que preferem se divertir sozinhos, ainda que as emoções durem pouco devido à sua curta duração.

Visual recauchutado

Crianças versus adultos
Fãs de longa data da Nintendo logo perceberão que "Mario Super Sluggers" é, na verdade, uma espécie de remake de "Mario Super Beisebol", que saiu para o Gamecube em 2005. Comparando os dois, fica difícil perceber grandes melhorias, além de uma paleta de cores mais vibrante e um visual geral um pouco melhor definido, com suporte a telas widescreen. Não é feio, mantendo o carisma da turma de Mario e todo seu universo, mas é pouco se levarmos em consideração que é um título com o dedo da própria Nintendo.

Com isto, até mesmo com a ausência de suporte a partidas onlines ou grandes campeonatos, a grande novidade estrutural aplicada à fórmula foi mesmo a implementação do controle de movimentos que, como dito anteriormente, não é das mais complexas. Na realidade, é algo levemente superior ao visto no hoje rudimentar "Wii Sports", com poucas variações e até mesmo certa imprecisão.

Nota: 6 (Razoável)