Ultimate Marvel vs. Capcom 3

CLAUDIO PRANDONI

da Redação

"Ultimate Marvel vs. Capcom 3" pode soar como uma proposta picareta da Capcom, mas é um pacote robusto e que vale a pena mesmo para quem já comprou o "MvC3" original. A seleção de lutadores novatos é divertida e variada, atendendo diversos estilos de jogo e, principalmente, alguns gamers da velha guarda da série "Vs.", pela vosta de Strider Hiryu.

Por fim, os ajustes no modo online tornam a experiência que já era ótima em algo ainda melhor, tornando combates mais fluidos e permitindo assistir às lutas quando não for sua vez na fila.

De resto, o título mantém a excelente qualidade do game original, com gráficos arrasadores, velocidade alucinante e outras tantas qualidades.

Introdução

Em fevereiro deste ano a Capcom colocou no mercado "Marvel vs. Capcom 3", continuação do adorado clássico de mais de uma década atrás, "Marvel vs. Capcom 2: New Age of Heroes". Para alegria dos fãs - e talvez não muito dos bolsos desses jogadores - em menos de um ano chega a versão turbinada do game, com mais personagens, cenários, golpes e ajustes na mecânica.

Com 12 lutadores adicionais, um punhado de modos de partida inéditos e boas melhorias no modo online, "Ultimate Marvel" chega com preço menor do que o valor padrão de lançamentos, como forma de tentar convencer mesmo quem comprou a edição original no início do ano a aderir a este pacote.

Pontos Positivos

Novos personagens

A seleção de 12 lutadores novatos de "Ultimate Marvel" é muito competente. Veteranos celebrarão de monte a volta do ninja Strider Hiryu e suas rápidas investidas, gamers nostálgicos ficarão felizes com a aparição do demônio Firebrand, fãs devotos de quadrinhos vão apreciar o Motoqueiro Fantasma, Dr. Estranho e outras figuras emblemáticas do universo Marvel. Até mesmo a inusitada série de advogados da Capcom, "Ace Attorney", aparece representada com o carismático Phoenix Wright.

O grande trunfo do plantel é atender a uma ampla variedade de estilos de jogo, com guerreiros que variam de lutadores rápidos para brutamontes lentos e fortes até personagens com golpes de efeito, preparando armadilhas e investidas mais poderosas.

Ajustes no online

Uma das grandes falhas do modo online do "Marvel vs. Capcom 3" foi corrigida: a inexistência da opção de assistir lutas de outros jogadores, como rola, por exemplo, com "Super Street Fighter IV".

Tal opção agora aparece em "Ultimate Marvel", junto com uma série de ajustes que tornaram os combates ainda mais fluidos e com menos lags - algo importantíssimo em um jogo tão rápido como este.

É o mesmo jogo dos consoles

A versão "Ultimate" de "Marvel Vs. Capcom 3" foi chamada de caça níqueis, afinal, chegou ao mercado em menos de um ano depois do original. Bom ninguém pode reclamar disso no PS Vita, afinal é a primeira vez que o game chega para a plataforma. Por isso mesmo que o game chega com um charme todo especial para quem jogou o game anterior, com todos os 48 personagens para jogar mais três extras (Jill e Shuma Gorath por download e Galactus que pode ser aberto depois de alguns minutos de jogo).

Os modos de jogo também estão lá, desde os desafios, treino e modo arcade ao modo Heroes & Heralds, que foi adicionado mais tarde via download. Nada ficou de fora, inclusive as modalidades online. Ou seja quem jogou o original não terá do que reclamar, afinal este game vai passar a mesma experiência que você teve na TV da sala, só que agora na palma de sua mão.

Controles de toque

A tela sensível ao toque também tem vez e ela é bem útil para aqueles que não conseguem fazer combos gigantescos. Basta dar toques na tela para fazer os combos mais malucos, com direito inclusive de terminar em um golpe especial. Mas até mesmo esse sistema que a primeira vista parece simples demais precisa de alguma técnica.

Não basta sair apertando feito um louco desesperado para ganhar o jogo – é preciso saber o momento para fazer o ataque e usar o direcional para fazer a defesa. E, convenhamos, essa é uma boa técnica para quem quiser o troféu que é liberado ao terminar com todos os personagens.

Pontos Negativos

Jogar com Galactus

Apesar de o cardápio de modos de partida de "Ultimate" apresentar as mesmas opções bacanas do "MvC 3" original - ainda com a inclusão do criativo Heroes and Heralds, que confere uma ampla seleção de poderes personalizáveis aos lutadores - o modo para jogar com Galactus é totalmente sem propósito.

Habilitado quando se tem um save do primeiro "Marvel vs. Capcom 3" no console, quase como um prêmio de consolação por ter comprado um jogo que em menos de um ano já recebeu versão melhorada, ele não possui história ou qualquer tipo de exploração. Os golpes de Galactus são todos ativados por combinações simples de botões, mas pouca diferença faz entre um e outro: todos os golpes são tão devastadores que o computador não tem a menor chance de revidar - e não há como chamar um amigo para te enfrentar.

Loadings demorados

Uma coisa até estranha é que nos testes de UOL Jogos todos os tempos de carregamento foram demorados - o que é estranho para um jogo em cartão de memória. A espera média é de 30 segundos - e o tempo pode ser ainda aumentar em situações como partidas online. Isso é chato, pois quebra o ritmo frenético das batalhas.

Nota: 9 (Excelente)

UOL Cursos Online

Todos os cursos