Far Cry Primal

Pablo Raphael

Do UOL, em São Paulo

Vamos começar lidando com o mamute no meio da sala: "Primal" é um jogo tão grande quanto "Far Cry 4". Embora a Ubisoft tenha deixado isso claro em toda a comunicação sobre o game, não são poucos os jogadores que acreditam se tratar de uma aventura mais curta, aos moldes do divertido "Blood Dragon", de 2013, que também explorava épocas alternativas.

O game vai consumir facilmente entre 15 e 20h para ser finalizado, e mais ainda se você optar por fazer todas as missões paralelas, colecionáveis e atividades secundárias que "Primal" oferece. E não, não é apenas uma versão repaginada de "Far cry 4", mas um jogo cheio de identidade própria e ideias que devem perdurar nos próximos games da franquia de tiro da Ubisoft.

Em "Far Cry Primal" você controla Takkar, um guerreiro e caçador pré-histórico em busca de seus companheiros perdidos e espalhados pela terra de Oro, um belo pedaço selvagem do que é hoje a Europa Central.
O ano é 10.000 A.C. e a tribo de Takkar está em conflito com dois outros grupos: os brutamontes canibais Udan e os perigosos piromaníacos Izila.

Toda a narrativa se dá em um idioma primitivo fictício, inclusive as conversas entre Takkar e outros personagens. Claro, tudo é legendado em português e não faltam indicações dos objetivos na tela, então o "uga-buga" todo é mais  um charme extra e que ajuda na imersão - mas você pode desabilitar tudo e jogar no escuro, tentando aprender os dialetos de "Primal".

Parque (quase) jurássico

Assim como em outros "Far Cry", "Primal" oferece um mapa enorme para explorar, cheio de perigos que podem ser enfrentados da maneira que o jogador preferir. Conforme progride, você desbloqueia armas e equipamentos para construir usando os recursos de Oro e que permitem jogar como um caçador furtivo ou um guerreiro ensandecido - e qualquer coisa no meio deles.

Também é possível domar e comandar as criaturas selvagens, desde lobos e hienas até ursos pré-históricos e tigres dentes-de-sabre. Os animais são bastante espertos e ajudam bastante mesmo quando você não está dando comandos para eles - e o mesmo vale para quando vai lidar com as criaturas, que usam táticas de matilha, atacam furtivamente e fogem para se recuperar quando estão perdendo a briga.

O mundo de "Primal" é cheio de vida: além dos diversos tipos de animais, você vai ter vários encontros aleatórios com os inimigos enquanto explora o mapa. Alguns encontros envolvem resgatar companheiros aprisionados ou matar um guerreiro particularmente poderoso. Há também fortalezas para conquistar e até, olha só, fogueiras que fazem às vezes das tradicionais torres dos jogos da Ubisoft, marcando locais de interesse no mapa quando são acesas.

Combate empolgante

O ponto alto de "Primal" é o combate. Admito que tinha minhas dúvidas sobre o quanto o game seria legal quando foi anunciado: remover armas de fogo de um jogo de tiro é uma aposta ousada, mas que se pagou nas mãos dos estúdios da Ubisoft. Takkar usa armas simples para lutar contra seus inimigos e contra as criaturas que habitam a terra de Oro.

Na hora da ação, você conta com um arco e flecha, lanças, tacapes, facas de osso e pedra lascada, e algumas bugigangas interessantes, como colmeias cheias de abelhas. E, claro, seus companheiros animais. O combate de perto é bastante frequente, seja nos sangrentos nocautes furtivos (rasgar a garganta do inimigo com um pedaço de osso afiado e esmagar o crânio dele com um golpe de tacape são algumas das possibilidades) ou na trocação de golpes com os adversários.

E, por mais que atirar com um fuzil automático seja divertido, arremessar uma lança na barriga do inimigo e vê-lo levantar os pés do chão com o impacto é muito recompensador. "Far Cry Primal" não modera na sanguinolência e você vai ver suas feras quase arrancando a cabeça dos oponentes com os dentes e se alimentando dos cadáveres depois das batalhas. Tripas, sangue e corpos seminus se amontoam no chão após um ataque bem sucedido ao acampamento rival.

Com altas doses de violência e cenas de sexo, "Primal" não é um jogo recomendado para os mais novinhos. Mas os jogadores adultos certamente vão se divertir bastante com a interpretação de "Far Cry" sobre os primórdios da raça humana.

Com legendas e menus em português, "Far Cry Primal" está disponível para PC, PlayStation 4 e Xbox One.

Nota: 9 (Excelente)

UOL Cursos Online

Todos os cursos