Jogos

10 fatos sobre Gabe Newell, dono do Steam e homem mais rico dos games

Reprodução
A face (e barba!) do herói de todos os PC gamers espalhados pelo mundo Imagem: Reprodução

Victor Ferreira

Do Gamehall, em São Paulo

25/01/2017 16h34

Dentro do mundo dos games, existem poucas pessoas com um culto de personalidade tão grande quanto Gabe Newell, cofundador da Valve Software.

Com seu jeito casual de se vestir e interagir com o público, é difícil conceber que "Gaben", como é conhecido pelos fãs, seja um dos homens mais ricos do mundo, com fortuna estimada em US$ 4,1 bilhões pela revista Forbes - sendo a única pessoa relacionada diretamente ao mundo dos games a entrar nesta lista.

A reputação, em geral, é merecida: nas últimas décadas, Newell foi responsável - diretamente ou não - por alguns dos maiores sucessos da indústria dos games, como "Half-Life", "Counter-Strike" e "DOTA 2".

Mais do que isso, ele e a Valve causaram uma revolução no mercado de games no PC com a plataforma digital Steam, revitalizando e fortalecendo ainda mais um setor que muitos consideravam estar acabado.

Sendo assim, UOL Jogos decidiu separar alguns dos principais fatos e curiosidades marcantes sobre uma das figuras mais importantes na indústria dos videogames, desde sua carreira na indústria de tecnologia até suas excentricidades.

  • Imagem: Reprodução
    Reprodução
    Imagem: Reprodução

    Abandonou seus estudos em Harvard para trabalhar na Microsoft

    Entre 1980 e 1983, Gabe Newell foi um estudante da prestigiosa universidade de Harvard, nos Estados Unidos. Eventualmente, porém, ele decidiu abandonar sua carreira acadêmica para trabalhar em uma empresa de computação promissora: a Microsoft.

    Este caminho, curiosamente, é similar ao do próprio fundador da companhia, Bill Gates.

    Em entrevistas, Newell não se mostra arrependido de abandonar a faculdade, chegando a dizer em entrevista que "aprendi mais em três meses com os caras da Microsoft do que em todo o meu tempo em Harvard".

    (Ainda assim, ele credita a faculdade por fazê-lo aprender a tomar cerveja plantando bananeira na neve, o que considera uma "habilidade útil")

  • Imagem: Reprodução
    Reprodução
    Imagem: Reprodução

    Antes de o ser bilionário da Valve, foi um dos "milionários da Microsoft"

    Gabe Newell foi o 271º. funcionário da Microsoft, e trabalhou na empresa por 13 anos, estando diretamente envolvido na produção de sistemas operacionais como o Windows 1.01, 1.02 e 1.03.

    Seus anos de serviço o levaram a se tornar um dos "milionários da Microsoft", termo para os primeiros funcionários da companhia que lucraram com sua ascensão (milionários também eram menos comuns nesta época).

  • Imagem: Divulgação
    Divulgação
    Imagem: Divulgação

    A Valve não existiria sem "Quake"

    Como quase tudo no mundo de jogos para PC nos anos 90, a fundação da Valve Software deve-se principalmente à id Software e seus principais jogos da época, "Doom" e "Quake".

    Em meados dos anos 90, outro funcionário da Microsoft, Michael Abrash, deixou a companhia para trabalhar no desenvolvimento de "Quake".

    Newell, assim como seu eventual parceiro de negócios Mike Harrington, se inspiraram com a iniciativa de Abrash e juntos formaram um novo estúdio de games, a Valve Software LLC., e financiaram o desenvolvimento daquele que viria a ser considerado um dos maiores shooters de todos os tempos: "Half-Life", que foi criado com uma versão modificada do motor gráfico de - adivinhem só - "Quake".

  • Imagem: Reprodução
    Reprodução
    Imagem: Reprodução

    Sua maior contribuição para "Half-Life" foi uma frase motivacional

    Na página de funcionários do site oficial da Valve, Gabe tem apenas um parágrafo falando sobre ele, mas é um parágrafo bem revelador.

    Além de citar sua experiência dentro da Microsoft, diz-se que a maior contribuição dele para o desenvolvimento de "Half-Life" foi dizer a seguinte frase: "Qual é, pessoal, vocês não podem mostrar uma bomba gigante para o jogador e não deixar explodir ela!"

  • Imagem: Reprodução
    Reprodução
    Imagem: Reprodução

    Não se considera parte integral de nenhum projeto da Valve

    Como o fato acima demonstra, Gabe Newell gosta de ser um membro não-essencial de qualquer projeto da Valve, e a filosofia da empresa é de que não há uma chefia constante sobre os empregados.

    Enquanto desenvolvedores trabalhavam duro em "Half-Life 2", por exemplo, ele colaborava com o desenvolvimento da primeira versão do Steam, deixando a equipe explorar suas próprias ideias.

    Isso se encaixa em uma das principais filosofias de Newell e da Valve como um todo, e tem até base na visão do próprio Bill Gates: "sucesso em software vem de pegar desenvolvedores de fora para escrever programas que vendem mais do que os seus".

    De fato, uma das maiores qualidades de Gabe é justamente sua capacidade de encontrar designers e artistas promissores e investir neles dentro de sua própria empresa, o que gerou games aclamados e populares como "Portal", "Left 4 Dead", "DOTA 2" e "Counter-Strike".

  • Imagem: Divulgação
    Divulgação
    Imagem: Divulgação

    Chamou o PS3 de "uma perda de tempo"...

    Gabe é conhecido por não se segurar quando vê problemas em algum elemento da indústria de tecnologia e games. Em 2007, particularmente, o executivo foi extremamente crítico com o PS3 e o processador Cell, chegando a chamá-lo de "uma perda de tempo para todo mundo".

    "Investir no Cell, investir no SPE não dá benefícios a longo prazo", disse em entrevista com a revista Edge. "Não há nada lá que você vai aplicar para qualquer outra coisa. Você não vai ganhar nada além de ódio pela arquitetura que você criou."

    Ironicamente, três anos depois Newell subiria ao palco da conferência da Sony na E3 2010 para revelar a versão de PS3 de "Portal 2", que traria algumas funcionalidades do Steam que não estariam presentes na versão de Xbox 360 - incluindo a possibilidade de jogar com jogadores da versão de PC do game.

    Ainda assim, o tempo provou que ele realmente estava certo sobre os problemas estruturais do PS3, com diversos designers criticando o sistema (o criador da série "Gran Turismo", Kazunori Yamauchi, chegou a dizer que desenvolver jogos para o console era "um pesadelo"), e a Sony abandonando o processador Cell para o PlayStation 4.

  • Imagem: Reprodução
    Reprodução
    Imagem: Reprodução

    ... E comparou o Windows 8 a uma "catástrofe" e "uma grande tristeza"

    Suas críticas não se limitam ao mundo dos consoles: em 2012, ele não poupou sua antiga empregadora, a Microsoft, pelo sistema operacional Windows 8, chamando-o de uma "catástrofe para todos no espaço de PC".

    A principal crítica dele quanto ao sistema era a tendência da Microsoft de torná-la uma plataforma fechada, o que afetaria seu público diretamente.

    "A Valve não existiria sem o PC", disse. "Ou a Epic, ou a Zynga, ou o Google. Nenhuma delas existiria sem a liberdade da plataforma."

    Já em 2013, durante a feira CES, Newell foi ainda mais crítico ao sistema. "Como alguém que participa do ecossistema do PC, é incrível quando redes wireless mais rápidas são lançadas, ou gráficos ficam mais rápidos. O Windows 8 é como se fosse uma grande tristeza. Ele simplesmente fere todo mundo no mercado de computadores."

    "Ao invés de todo mundo estar animado de ir e comprar um novo PC, comprar software novo para rodar nele, tivemos uma queda de 20% nas vendas de computadores", continuou.

    No fim das contas, o Windows 8 foi considerado um fracasso pela própria Microsoft, e procurou corrigir o problema rapidamente com um sucessor, o Windows 10.

  • Imagem: Reprodução
    Reprodução
    Imagem: Reprodução

    Tem uma coleção assustadora de facas

    Quem tiver a chance de visitar o escritório de Gabe Newell na sede da Valve vai se deparar com uma visão, no mínimo, curiosa: facas.

    Dezenas de facas.

    Como o compositor musical Sam Hulick e o site Giant Bomb descobriram, Newell adora colecionar facas e outros objetos cortantes. Não só isso, de acordo com o roteirista Chet Faliszek, ele gosta de carregar algumas delas consigo enquanto trabalha.

    É possível que ele estivesse brincando.

    ... Mas não podemos ter certeza.

  • Imagem: Divulgação
    Divulgação
    Imagem: Divulgação

    Seu jogo favorito é "Super Mario 64"

    Newell declarou, em diversas ocasiões, que seu jogo favorito de todos é "Super Mario 64", chegando a fazê-lo ter uma perspectiva completamente diferente sobre o mundo dos games.

    "Ainda é meu jogo favorito de todos os tempos", disse ao site Computer & Video Games, em 2011. "Ainda tenho memórias vívidas de todas as fases diferentes. Os controles até hoje não tem igual. Ele me convenceu de que games são arte".

    Em 2014, durante uma sessão de perguntas na rede social reddit, ele voltou a citar o clássico do Nintendo 64, chegando a dizer que é seu jogo favorito "que não foi feito pela Valve".

  • Imagem: Divulgação
    Divulgação
    Imagem: Divulgação

    Ele ainda não tem uma data para "Half-Life 3"

    Perguntaram para ele no AMA do reddit feito no início deste ano.

    Ainda nada.

    Desta vez, porém, ele revelou que a Valve está trabalhando em um jogo singleplayer que se passa no universo de "Half-Life" e "Portal", então... progresso?

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Jogos

Topo