Topo

Jogos

PC

Paciência é uma virtude: 5 motivos para não comprar jogos no lançamento

Reprodução
Lançado em fevereiro, "For Honor" sofreu com diversos problemas em seu modo online Imagem: Reprodução

Victor Ferreira

Do Gamehall, em São Paulo

10/04/2017 10h35

Muitas vezes, é difícil não ficar animado com um novo jogo que vem por aí - seja por ser parte de uma série popular ou uma nova promessa para o público.

Mas, como tem se provado cada vez mais comum, o hype muitas vezes não corresponde com a realidade, seja por problemas técnicos ou simplesmente por não corresponder às expectativas.

Por isso, UOL Jogos separou alguns dos principais motivos para esperar um pouco antes de comprar um jogo novo, o que pode salvar tempo e dinheiro no futuro para possíveis consumidores arrependidos.

  • Reprodução

    Bugs e problemas de lançamento

    Nos últimos anos, a indústria de games sofreu com uma série de lançamentos desastrosos, que acabaram manchando a imagem do jogo - de forma permanente, em alguns casos.

    "Battlefield 4", "Assassin's Creed Unity", "SimCity" de 2013, "Diablo III", a versão de PC de "Batman: Arkham Knight" e mais recentemente "For Honor" e "Mass Effect: Andromeda" sofreram diversas críticas por seu estado instável e quase impossível de jogar nos primeiros dias de lançamento.

    Alguns destes games conseguiram se recuperar, outros não, mas quem esperou para comprar certamente teve uma base melhor para fazer uma decisão.

  • Reprodução

    Eventuais melhorias no visual e jogabilidade

    Na semana passada, "Mass Effect: Andromeda" recebeu um patch que, entre outras mudanças, melhorou o visual de muitos de seus personagens, cujas expressões faciais e e interações viraram fonte de piada na internet

    Embora não corrija todos os problemas reportados por quem comprou o jogo no lançamento, a experiência de quem for jogar o game mais tarde certamente será menos bizarra do que antes.

    Isso funciona até para jogos aclamados: "The Witcher 3: Wild Hunt", considerado um dos melhores jogos de todos os tempos, recebeu uma série de melhorias em relação a seu combate, menus e outros sistemas após reclamações de fãs.

  • Divulgação

    DLCs e expansões

    Essencialmente todos os grandes jogos lançados atualmente tem um plano para incluir conteúdo adicional para dar uma "sobrevida" de alguns meses (ou até anos) ao título - até a Nintendo começou a fazer isso, prometendo mais duas expansões para "The Legend of Zelda: Breath of the Wild".

    Desde novos personagens e armas para jogos multiplayer até grandes expansões e narrativas para games focados em campanhas, as produtoras e publishers ainda vão querer algum dinheiro extra de seu investimento - especialmente por pessoas que não compraram no lançamento.

    Mais do que isso, muitas destas expansões trazem ideias e conceitos até mais interessantes que muito do game principal, como o DLC "Lair of the Shadow Broker", de "Mass Effect 2", e as expansões "Hearts of Stone" e "Blood and Wine", de "The Witcher 3".

  • Reprodução

    Descontos em títulos novos não demoram para chegar

    Com exceção de sucessos avassaladores como "Grand Theft Auto", "The Elder Scrolls" e "Call of Duty" (embora a popularidade do último esteja em baixa), é provável que games lançados recentemente ganhem descontos significativos - ao menos na faixa dos 10% a 20% - poucos meses após chegarem às lojas.

    Isso vale principalmente para edições digitais destes games por meio de lojas como a PlayStation Store, Xbox Live e Steam.

  • Reprodução

    Eventualmente, edições completas (e mais baratas) vão ser lançadas

    Quem for realmente paciente e esperar por cerca de um ano após o lançamento do jogo poderá encontrar versões completas, com todos - ou ao menos a maioria - dos conteúdos extras já disponíveis no pacote.

    Estas versões, geralmente conhecidas como "Edição Jogo do Ano" ou com títulos similares, também costumam ser lançadas com o mesmo preço da versão original do game, que não vem com as expansões e conteúdo adicional criado mais tarde para ele.