Topo

"Cavaleiros do Zodíaco": veja 5 lutas épicas vencidas pela dublagem do jogo

Divulgação
Imagem: Divulgação

Claudio Prandoni

Do UOL, em São Paulo

26/10/2015 17h07

Enfim chegou o primeiro game dublado em português de "Cavaleiros do Zodíaco".

"Alma dos Soldados" chegou ao PS4 e PS3 com o mesmo elenco do anime, agradando em cheio a fãs da série e marcando como um episódio bem positivo na dublagem nacional de games, que tem passado por altos e baixos neste ano.

Porém, não foi um trabalho fácil - na real, bem longe disso. Gravar as vozes para o game foi um trabalho que apresentou diversas dificuldades.

Conversando com os responsáveis pelo trabalho, descobrimos cinco 'batalhas épicas' vencidas pelos dubladores de Cavaleiros em "Alma dos Soldados".

  • Divulgação

    Tempo curto para tradução

    Traduzir todo o texto de "Alma dos Soldados" parece ter sido uma correria tão grande quanto a que os Cavaleiros de Bronze encararam nas escadarias do Santuário na saga das doze casas. O tradutor Marcelo Del Greco contou teve cerca de três meses para cuidar de tudo, sendo que o ideal para lidar com tal volume de texto seria o dobro de tempo. Del Greco conta que chegou a pensar em desistir do trabalho, mas a familiaridade com a série (ele é tradutor de conteúdo oficial de Cavaleiros há mais de 15 anos) e a importância de ser a primeira dublagem em português em um game da franquia. Leia mais

  • Divulgação

    Áudios com tempo definido

    Enquanto em desenhos animados e filmes a duração do áudio de voz é definido pelo tempo em que os personagens mexem a boca na imagem, no game já existem arquivos de voz prévios com tempos bem definidos - e que não podem ser mudados. Em razão disso, os dubladores tiveram de improvisar algumas palavras e grunhidos a mais ou a menos em algumas partes, já que nem sempre uma frase em japonês tem a mesma duração quando traduzida para português. Leia mais

  • Nada de imagens

    Além de arquivos de voz com tempos rigidamente definidos, a dublagem do game apresentou outro diferencial complicado para os atores mais acostumados com filmes e desenhos: a ausência de imagens. Mesmo com o áudio em japonês de referência, não poder ver as cenas em questão dificultou saber exatamente qual o tom da situação ou a expressão do personagem em cada situação. Leia mais

  • Divulgação

    Reunir o elenco

    Há duas décadas, muitos dos dubladores envolvidos em "Cavaleiros do Zodíaco" ainda eram novatos ou pouco conhecidos no ramo. De lá pra cá, muitos se tornaram estrelas do segmento - como Hermes Baroli, voz do herói Seiya, e Wendel Bezerra, que fez Fenrir, da Saga de Asgard, e hoje é conhecido pelas vozes de Goku e Bob Esponja. Por conta de agendas atribuladas e a grande quantidade de vozes no game - são mais de 50 personagens distintos! - foi difícil reunir todos no prazo para gravar a dublagem do jogo. Leia mais

  • Divulgação

    Bud, o 'Amigão'

    Por um erro feito nas primeiras traduções de "Cavaleiros", o Guerreiro Deus Bud virou Bado em português - Bado seria a leitura feita pelos japoneses de Bud, o nome original. Por sua vez, o tradutor Marcelo Del Greco recebeu um roteiro previamente traduzido para português a partir de textos em inglês. Aí começou a confusão: esse roteiro prévio traduziu o nome Bud como 'amigão', uma interpretação, de fato, possível da mesma palavra. Após alguns desencontros, o erro foi percebido e corrigido no roteiro. Leia mais

Mais Jogos