Topo

Jogos

PlayStation

Com celebridades e animes, dublagem nos games penou, mas evoluiu no Brasil

Divulgação
Imagem: Divulgação

Claudio Prandoni

Do UOL, em São Paulo

11/12/2015 17h56

Em 2015 a dublagem de games em português consolidou sua função como algo imprescindível em qualquer lançamento de respeito no Brasil.

As produtoras de console Microsoft e Sony praticamente tornaram padrão que jogos first party tenham legendas e vozes em nosso idioma. Ao mesmo tempo, as principais produtoras third party fizeram o mesmo com suas principais franquias.

A temporada atual foi rica em episódios bons e ruins e, apesar de alguns tropeções feios, o saldo foi positivo. Veja abaixo alguns dos momentos mais marcantes da dublagem de games neste ano:

  • Celebridades não emplacam...

    O primeiro semestre foi marcado pelas participações polêmicas de duas celebridades: o músico Roger Moreira, em "Battlefield: Hardline", e a cantora Pitty, em "Mortal Kombat X". Fãs não gostaram da atuação de Roger, criticaram nas redes sociais e foram ofendidas por ele - que ainda disse preferir a dublagem original do game, em inglês. Pitty, por sua vez, foi bem mais compreensiva e comentou detalhes sobre as gravações, dizendo que não tem responsabilidade sobre texto, direção e edição e que fez o melhor possível. Leia mais

  • O poder do anime

    Pela primeira vez um jogo de anime da Bandai Namco contou com dublagem em português - algo pedido há muito tempo por fãs - e o resultado foi excelente. "Cavaleiros do Zodíaco: Alma dos Soldados" contou com o mesmo elenco do clássico desenho animado e agradou bastante, tanto pela qualidade do trabalho em si quanto pela nostalgia. Algumas pequenas falhas técnicas acontecem, mas não mancham o trabalho. Leia mais

  • Lição de casa

    Do lado dos títulos first party, tanto Microsoft quanto Sony conseguiram alcançar e manter um ótimo nível médio de qualidade, como visto (e ouvido!) em títulos como "Halo 5: Guardians", "The Order 1886", "Gears of War: Ultimate" e "Until Dawn".

  • Dentro das quatro linhas

    Em mais um ano com a dupla Tiago Leifert e Caio Ribeiro, "FIFA 16" mostra entrosamento, qualidade e originalidade. A dupla conta com piadas divertidas e exclusivas da versão brasileira e um estilo único que, ainda que não agrade quem prefira locuções mais tradicionais, é extremamente bem feito. Por sua vez, sinal amarelo para "PES 2016": o duo Silvio Luiz e Mauro Beting começa a sofrer com muitas frases repetidas em relação a anos anteriores e falta de novidades. Ainda funciona, mas fica a impressão de que poderia ser melhor.

  • Veteranos e estreantes

    Muitas das principais séries third party tornaram a apresentar versões dubladas, neste ano com evidentes e bem vindas evoluções. "Batman: Arkham Knight" primou por um elenco amplo e variado, "Assassin's Creed Syndicate" brilhou pelo carisma dos personagens principais e ""Starcraft II: Legacy of the Void" honrou o alto padrão de qualidade da Blizzard. Até mesmo "Just Cause 3" marcou a estreia da série com dublagem em português brasileiro e fez bonito.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor