Topo

Jogos

Retrô

Esses são os piores jogos de PlayStation 3 e Xbox 360

Divulgação
Imagem: Divulgação

Do UOL, em São Paulo

14/11/2017 10h24

É fácil olhar para trás e se lembrar dos games incríveis que marcaram a infância, a juventude e até mesmo os consoles da geração passada. PlayStation 3 e Xbox 360 tiveram sua cota de jogos de alto nível, como "Halo: Reach", "The Last of Us" e "Red Dead Redemption". Mas os consoles da geração HD também receberam alguns jogos que a comunidade prefere esquecer.

Alguns desses games até trazem boas ideias, mas em geral, são mal feitos, com controles ruins, problemas técnicos e todo tipo de defeitos que os colocam na categoria dos "jogos que você deve evitar".

UOL Jogos lista a seguir os 10 piores games já lançados para PlayStation 3 e Xbox 360. Confira!

VEJA TAMBÉM:

  • Divulgação

    10. Quantum Theory

    A Tecmo Koei tentou fazer um jogo de tiro ocidental, nos moldes de "Gears of War". O resultado foi "Quantum Theory", que falhou miseravelmente ao não conseguir implementar o sistema de cobertura que tornou a franquia da Microsoft tão popular. A trama de "Quantum Theory" é super rasa, sem o charme das produções japonesas nem os clichês dos jogos norte-americanos com fuzileiros espaciais. "Quantum Theory" é uma boa ideia perdida entre dois mundos e que não acerta em lugar nenhum.

  • Divulgação

    9. Terminator Salvation

    Mesmo que "Exterminador do Futuro: A Salvação" não tenha sido um sucesso no cinema, é difícil ver o filme de 2009 e não imaginar que algumas das cenas de ação dariam um ótimo videogame. Infelizmente, não foi o que aconteceu. O jogo não tem o ator Christian Bale no papel de John Connor e não vai além de ser um jogo de ação e tiroteio genérico. A aventura dura meras 4 horas e não há nenhum motivo para jogar "Terminator: Salvation" de novo - e na época, ainda foi vendido por preço cheio!

  • Divulgação

    8. Yaiba: Ninja Gaiden Z

    "Ninja Gaiden 3" já não foi grande coisa, mas a franquia de ação da Tecmo Koei ainda sofreria um golpe fatal com "Yaiba: Ninja Gaiden Z". A produção apostava em cores fortes, gráficos em 'cell shading' e ação mais frenética para atrair um novo público para a série, sem deixar de lado o desafio elevado... até demais. Os combates desequilibrados de "Yaiba" tornaram o jogo frustrante e injusto - o oposto do que se espera de um "Ninja Gaiden". Não foram poucos os jogadores que desistiram diante dos problemas de design de "Yaiba" e nunca viram o final do game. Ainda bem que a Team Ninja se redimiu com o excelente "Nioh"!

  • Divulgação

    7. Golden Axe: Beast Rider

    Uma das franquias mais amadas pelos jogadores das antigas, "Golden Axe" merecia algo melhor do que "Beast Rider". O jogo da SEGA afastou os fãs veteranos e destruiu qualquer chance de angariar a atenção de um novo público: feio, com uma câmera sofrível e ação genérica, o jogo não permite partidas cooperativas ou sequer escolher entre os 3 personagens icÔnicos : você joga apenas com a amazona Tyris Flare, distribuindo golpes genéricos e sofrendo com um sistema de bloqueio e contra-ataque que não funciona. O game é tão ruim que inspirou o youtuber Zangado a fazer seu primeiro vídeo, avisando as pessoas para não comprarem "Beast Rider".

  • Divulgação

    6. Turning Point: Fall of Liberty

    Assim como os mais recentes "Wolfenstein", "Turning Point: Fall of Liberty" é um jogo de Segunda Guerra Mundial em uma realidade alternativa, mas sem o brilhantismo do jogo da Bethesda: o que aconteceria se Winston Churchill tivesse morrido anos antes e os EUA não entrassem na guerra? A invasão germânica na cidade de Nova York, claro. A boa ideia inicial se perde em uma narrativa boba e simplória, os gráficos não são nada inspirados e a inteligência artificial é risível de tão fraca.

  • Divulgação

    5. Iron Man 2

    O primeiro jogo do Homem de Ferro, baseado nos filmes da Marvel, foi um fiasco. Mas, por incrível que pareça, o segundo game foi ainda pior! Os controles de voo da armadura de Tony Stark não eram grande coisa no primeiro "Iron Man", mas no segundo jogo, algo deu muito errado e os controles ficaram terríveis. Os cenários genéricos e sem vida também não ajudavam e, veja bem, voar por aí com o Homem de Ferro é a melhor parte do jogo - nem pergunte sobre o sistema de combate ou as animações medonhas.

  • Divulgação

    4. G.I. Joe: Rise of Cobra

    Um jogo baseado nos filmes e nos bonecos dos "Comandos em Ação"! O que poderia dar errado? Tudo, aparentemente: gráficos terríveis, mecânicas de jogo sem graça e repetitivas e, por algum motivo inexplicável, dificuldade exagerada para um game feito para o público casual e infanto-juvenil. "Rise of Cobra" se destaca também por um sistema de progresso de mentira: mensagens na tela avisam que você alcançou um 'check point', mas se morrer, é enviado de volta para o começo da fase. Os tais 'check points' servem apenas como marcações para as telas de carregamento entre um trecho e outro do jogo e não salvam progresso nenhum.

  • Divulgação

    3. Thor: God of Thunder

    Com jogos como "Iron Man 2" e "Thor: God of Thunder", entendemos porque não existem (ainda) games licenciados dos filmes recentes da Marvel. "Thor: God of Thunder" é o pior jogo de super-herói lançado para PS3 e Xbox 360, o extremo oposto do excelente "Batman: Arkham Asylum". Os controles não respondem direito, as animações do Thor são robóticas e o personagem não tem a agilidade que você espera do Deus do Trovão. De fato, esquivar de projéteis é um pesadelo irritante. Thor só voa quando a missão exige e você vai passar boa parte do tempo esmagando botões para lutar contra monstros genéricos. "God of Thunder" é um verdadeiro teste de paciência.

  • Divulgação

    2. Damnation

    "Damnation" é um jogo de ação e tiro em terceira pessoa, um dos tantos que vieram na onda do sucesso de "Gears of War" e "Uncharted". O jogo tem uma premissa interessante e se passa numa versão alternativa e steampunk da Guerra Civil norte-americana. Infelizmente, o jogo é um desastre e pode ser considerado o pior 'shooter' de toda a geração PS3 e X360. Sem carisma nenhum, com atores ruins e problemas técnicos em todas as cenas, a trama perde qualquer chance de cativar o jogador. O tiroteio, elemento central de "Damnation", é totalmente impreciso, as fases são monótonas e os gráficos são simplesmnete feios, com falhas por todos os lados. É um mistério como alguém deixou esse game ser lançado.

  • Divulgação

    1. Amy

    O jogo de terror "Amy", exclusivo para PS3, queria ser o meio-termo entre as grandes produções e os melhores (e mais baratos) jogos para download, tendência que chegou aos consoles com força total na geração passada. No fim, "Amy" não foi uma coisa nem outra: design ruim, falhas técnicas que resultam em problemas de colisão, uma história fraca e mal apresentada, controles terríveis e um sistema de 'check points' pra lá de irritante. "Amy" reúne mais falhas e problemas do que qualquer jogo da geração passada e não tem nenhuma qualidade que o redima.