Topo

Jogos

PC

Hall da Infâmia: quais são os 11 piores jogos de todos os tempos?

Reprodução
Imagem: Reprodução

Victor Ferreira

Do Gamehall, em São Paulo

02/05/2017 14h02

Em seus quase 50 anos, a indústria de games produziu verdadeiras joias, que conquistaram milhões seja por jogabilidade engajante e viciante, mundos imersivos e interessantes, simulações realistas, e por aí vai.

Por outro lado, existem os jogos abaixo.

Seja por falta de tempo, mau gerenciamento ou simples falta de talento, os 11 títulos abaixo ficaram marcados como o fundo do poço da indústria, um exemplo do que não fazer ao se desenvolver um game.

Alguns são péssimos, outros são tão péssimos que até ficam divertidos. Mas todos são terríveis de uma maneira especial.

  • Reprodução

    Bomberman: Act Zero

    Lançado para: Xbox 360

    Mesmo 10 anos depois de seu lançamento, ainda é incompreensível que alguém na Konami ou na Hudson Soft tenha acreditado que o melhor caminho era deixar a série "Bomberman" mais sombria.

    Além desta atrocidade ideológica, "Bomberman: Act Zero" nem é um bom jogo sombrio para a série, repleto de problemas como gráficos ruins, colisão de objetos (o que é algo fundamental para a jogabilidade da série), tempos de loading muito longos, entre tantos outras falhas.

  • Reprodução

    Street Fighter: The Movie

    Lançado para: PlayStation, Saturn

    Embora seja péssimo, o filme de "Street Fighter" ainda tem uma ou outra coisa legal para distrair o espectador, em especial Raúl Julia como o vilão M. Bison, se divertindo aos montes em seu último papel antes de tragicamente morrer de câncer.

    Já o jogo "Street Fighter: The Movie" nem tem isso a seu favor, sendo basicamente uma versão porca de "Street Fighter II Turbo" com problemas de lentidão, e trocando os excelentes gráficos do original pelo visual dos atores do filme, só com qualidade bem pior do que outros games da era, como "Mortal Kombat".

  • Reprodução

    Rambo: The Video Game

    Lançado para: PC, PS3, Xbox 360

    Que melhor época para lançar um jogo baseado nos três primeiros filmes de John Rambo do que em 2014?

    Não que isso seja um problema, necessariamente - o jogo de "The Warriors: Selvagens da Noite" é uma boa adaptação "atrasada", por exemplo -, mas isso não explica a jogabilidade fraca, os gráficos datados, e a péssima qualidade dos vídeos e áudio dos filmes originais reproduzidos para o game.

    Talvez o mais bizarro nisso tudo seja que, ao contrário de Rambo no filme "Programado para Matar", o jogador tem total liberdade para matar quantos policiais e membros da Guarda Nacional que tiver vontade, sendo que a única punição é uma pontuação menor do que se simplesmente tivesse atirado para feri-los.

  • Reprodução

    Sonic the Hedgehog (2006)

    Lançado para: PS3, Xbox 360

    O que era para ser uma celebração aos 15 anos e uma renovação do mascote da Sega acabou terminando em desastre, com um título não só repleto de bugs como simplesmente nada divertido de se jogar.

    Dividido entre três partes, onde o jogador controla Sonic, Shadow e o inédito Silver the Hedgehog, "Sonic 2006" é repleto de fases gigantes com mecânicas cansativas e irritantes, sem falar de desafios que são quase impossíveis de serem completados sem precisão perfeita.

    Sem falar no bizarro romance entre Sonic e uma princesa humana, o que é de longe uma das coisas mais estranhas envolvendo o personagem que não tenha sido criado por fãs.

  • Reprodução

    Custer's Revenge

    Lançado para: Atari 2600

    Um dos "grandes" jogos do Atari 2600, "Custer's Revenge" ficou mais conhecido por sua controvérsia, ao retratar um soldado americano (baseado no General George Custer, morto na Batalha de Little Bighorn) fazendo sexo com uma nativa-americana capturada após desviar de flechas inimigas.

    Além de todas as questões racistas e sexistas, "Custer's Revenge" também é um jogo ruim em termos de pura jogabilidade, sendo pouco interessante e mal-feito.

  • Reprodução

    Plumbers Don't Wear Ties

    Lançado para: 3DO, PC

    Originalmente um dos principais títulos do console 3DO, "Plumbers Don't Wear Ties" era para ser um jogo de FMV (Full Motion Video, como "Dragon's Lair" e "Sewer Shark") com humor e temas adultos.

    O que ele acabou virando foi um dos títulos mais inacreditáveis lançados para um console, com péssima história, atuação, piadas, "jogabilidade" (que basicamente se limitava a escolher uma entre três opções de diálogo), sex appeal, etc.

    O pior de tudo é que o jogo nem era realmente um FMV, sendo composto principalmente de slides com fotos dos atores interagindo, e uma dublagem terrível por cima.

  • Reprodução

    Ride to Hell: Retribution

    Lançado para: PC, PS3, Xbox 360

    Após seis anos em produção e uma série de contratempos, "Ride to Hell: Retribution" finalmente chegou às lojas em 2013, e o consenso é de que ele provavelmente deveria ter ficado mais tempo no forno - ou ser incinerado de uma vez só.

    De seus péssimos controles, gráficos feios, história terrível, representação ofensiva de mulheres, e repleto da cabeça aos pés de bugs, em pouco tempo "Ride to Hell: Retribution" se firmou no panteão máximo de jogos terríveis.

  • Reprodução

    Superman 64

    Lançado para: Nintendo 64

    O Último Filho de Krypton nunca teve muita sorte no mundo dos games - ao contrário do Homem-Aranha e Batman, por exemplo -, mas "Superman" para o Nintendo 64 alcançou um patamar próprio de jogo terrível.

    Inspirado pelo popular desenho "Superman: The Animated Series", no game o herói deve resgatar seus amigos de uma versão virtual de Metrópolis criada por Lex Luthor. Como fazer isso?

    Voando por anéis, principalmente.

    Sim, em 7 das 14 fases o jogador deve voar pelo mapa, atravessando um caminho formado por anéis... ou ao menos tentando, já que os controles são tão horríveis e o tempo tão curto que é quase impossível completar o primeiro desafio, quanto mais os outros 6.

    Junte isso a gráficos horríveis e outras 7 fases pouco inspiradoras, e temos um dos pilares dos Piores Games de Todos.

  • Reprodução

    The War Z

    Lançado para: PC

    Tentando ao mesmo tempo alcançar o público do jogo de sobrevivência "DayZ" - e provavelmente enganar quem gostou de "Guerra Mundial Z" -, "The War Z" ganhou sua má fama logo de cara, sendo removido da plataforma digital Steam apenas 2 dia depois de seu lançamento por propaganda enganosa, ao mentir sobre mecânicas e elementos presentes no jogo.

    Eventualmente, o game foi relançado como "Infestation: Survivor Stories", mas ainda foi detestado pelo público não só por seus problemas de design quanto por seu modelo predatório de microtransações.

    Ainda assim, como um morto-vivo, o jogo conseguiu se arrastar por anos até finalmente ser desativado em dezembro de 2016.

  • Reprodução

    E.T.: The Extraterrestrial

    Lançado para: Atari 2600

    É impossível fazer uma lista com os piores jogos de todos os tempos sem ao menos mencionar "E.T.: The Extraterrestrial" para o Atari 2600, que virou o representante máximo do declínio e queda de uma das maiores companhias de videogame de todos os tempos

    Desenvolvido em apenas 5 semanas para garantir vendas na época do Natal, o jogo acabou sofrendo em todos os seus aspectos, mas principalmente com bugs, incluindo o famoso problema de não conseguir fazer E.T. sair de um buraco sem imediatamente cair nele de novo.

    Em uma ironia do destino, o jogo ficou conhecido principalmente pelo Grande Enterro da Atari, em que a empresa despejou vários cartuchos e consoles em um aterro no Novo México.

  • Reprodução

    Big Rigs: Over the World Racing

    Lançado para: PC

    No universo de jogos ruins, "Big Rigs" é o Santo Graal, um título imbatível e absolutamente transcendental.

    Desenvolvido na Ucrânia com um orçamento estimado em US$ 15 mil, o jogo de corrida com caminhões chegou às prateleiras claramente inacabado.

    Quão inacabado? No início das corridas, os outros veículos não se mexiam, porque sua inteligência artificial não havia sido implementada; não há colisão de objetos, o que significa que o jogador pode atravessar e até sair do mapa caso tenha vontade; das cinco pistas disponíveis, apenas quatro são jogáveis.

    É quase impossível descrever todos os problemas que são possíveis de serem encontrados em "Big Rigs", o que o torna o exemplo máximo entre os Piores Jogos de Todos os Tempos.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor