Topo

Santos vira time de "LoL" e mais fatos marcantes do eSport em 2015

Divulgação
Time do Santos Dexterity em sua primeira participação internacional Imagem: Divulgação

Rodrigo Guerra

Do UOL, em São Paulo

18/12/2015 17h04

É indiscutível o crescimento do eSport nos últimos anos, porém, 2015 foi um ano especialmente atrativo para os fãs e grande público. Foi nesse ano que vimos um estádio de futebol virar palco para a final do Circuito Brasileiro de "League of Legends", o CBLoL, que vimos um clube do peso do Santos a adotar um time de eSport e também um campeonato a ter uma premiação equivalente a esportes mais tradicionais.

Para ajuda-lo a relembrar de todo o que aconteceu no mundo do eSport, separamos uma lista com os principais momentos dessa categoria que está se expandindo e chamando atenção, inclusive de políticos e outras pessoas que podem legitimar a categoria.

  • Reprodução/Riot Games

    Audiência do Mundial de LoL supera NBA

    334 milhões de espectadores. Esse foi o número total de pessoas que assistiram o Mundial de "League of Legends" que aconteceu em outubro na Europa. A final do campeonato foi ainda mais surpreendente: 36 milhões de pessoas assistiram à conclusão do torneio. Em comparação, cerca de 20 milhões de pessoas assistiram as finais da liga norte-americana de basquete, a NBA, realizado em junho e o maior número de espectadores desde os tempos áureos de Michael Jordan. Leia mais

  • Divulgação/Capcom

    Brasileiro fica entre entre os 8 melhores do mundo de "Street Fighter IV"

    Ele chegou meio que de surpresa. Veterano dos campeonatos locais de "Street Fighter", o brasileiro Keoma Pacheco, campeão da Capcom Pro Tour Brasil, teve um desempenho exemplar na grande final do Capcom Cup 2015, torneio mundial de "Ultra Street Fighter IV" realizado em São Francisco durante a feira PlayStation Experience no início de dezembro, ficando entre os 8 melhores da competição. Para chegar lá Keoma precisou lutar contra Tatsuya Haitani, que no Japão é considerado um dos "Cinco Deuses Japoneses dos Jogos de Luta". Essa foi a melhor classificação de um brasileiro em um campeonato do tipo. Leia mais

  • Victor Ferreira

    Estádio de futebol vira palco para final do CBLoL

    A Riot Games revelou em janeiro que a grande final do Circuito Brasileiro de "League of Legends" em seria realizada no Allianz Parque, arena do Palmeiras em São Paulo. O público de 12 mil pessoas assistiu a final entre a INTZ e a paiN Gaming, virando notícia em telejornais e revistas que nunca tinham falado sobre videogames. O crescimento do público espectador foi exponencial: em 2014, a final da competição de eSports levou mais de 6 mil espectadores ao Ginásio do Maracanãzinho, no Rio de Janeiro. Além disso, vale lembrar que fãs de estados fora do eixo Rio-São Paulo receberam eventos de "LoL", como Santa Cataria e Goiás. Leia mais

  • Divulgação

    Santos vira time de eSport

    Na tentativa de renovar sua base de torcedores, o Santos entrou de cabeça no mundo do eSport. O clube paulista firmou parceria com o Dexterity Team, que passou a se chamar Santos Dexterity. Os jogadores do time agora disputam torneios de "League of Legends", "Counter-Strike: Global Offensive", "Battlefield 4", "Dota 2" e "CrossFire" vestindo a camiseta do Santos. Essa é a primeira vez que um time brasileiro adota essa postura, que é ótima tanto para o mercado, quanto para o clube. Logo na estreia da nova camisa, o Santos Dex ficou em segundo lugar no ESL One Summer de "Battlefield", um dos mais importantes da categoria. Porém o time ficou de fora da "primeira divisão do CBLoL". Leia mais

  • Divulgação

    Counter-Strike volta a ser protagonista no eSport

    Após muitos anos na estrada do eSport, "Counter-Strike: Global Offensive" voltou a ser protagonista entre os games mais assistidos em canais de transmissão de campeonatos. Sites como Twitch.tv e Azubu.TV já têm subcanais exclusivos para transmissões de jogos sendo disputados em mapas específicos do jogo. Em agosto foi registrado que mais de 27 milhões de pessoas assistiram à final da ESL One, o maior torneio da categoria, chegando assim ao maior número de espectadores que o jogo já teve desde a época em que "Counter-Strike" era o principal eSport no mundo. Além disso, a TBS, canal de TV por assinatura norte-americano conhecido por transmitir séries como "Family Guy" e "Seinfeld", vai transmitir em sua grade de horário nobre um campeonato de "Counter-Strike: Global Offensive", um marco para o eSport. Leia mais

  • 18 Milhões: "Dota 2" dá a maior premiação do eSport de todos os tempos

    Conhecido como The International, o maior torneio de "Dota 2" quebrou mais uma vez o recorde de premiação mais polpuda em um campeonato de eSport. No total, o torneio distribuiu US$ 18,4 milhões e deu US$ 6,6 milhões em dinheiro à Evil geniuses, a equipe vencedora. A maior parte do premio foi alcançada graças aos fãs que compraram o Compedium, item que é usado no game e evolui conforme outros jogadores ajudassem na campanha de arrecadamento. Leia mais

  • Divulgação

    Revy é a 1ª mulher a entrar em um time de "LoL" no Brasil

    Inscrita no Circuito Brasileiro de "League of Legends" como a suporte reserva da KaBuM!, Geovana "Revy" Moda, 19, é a primeira pro-player mulher do jogo no país - título que ela conseguiu "sem querer". Como reserva, Geovana ainda não tem todas as obrigações de um 'pro-player' titular. Ela não precisa, por exemplo, morar na 'gaming house' com seus companheiros de time. "Moro com meus pais e costumo treinar sozinha. Para melhorar, também assisto às transmissões que outros jogadores fazem", afirmou em entrevista para UOL Jogos em maio desse ano. Leia mais

  • Reprodução

    eSport pode virar esporte oficial no Brasil

    Tal qual já na Coreia do Sul e na China, o Brasil pode figurar entre os países que consideram o eSport um esporte de fato. Isso só vai depender de como for a recepção do projeto de lei 3450/2015, do deputado João Henrique Caldas, do PSB de Alagoas. Segundo o deputado, a partir do momento que o Brasil tratar o eSport como esporte, vai quebrar um paradigma em torno dos pro players e valorizá-los enquanto esportistas. Leia mais

  • Anti-doping no eSport

    Assim como em um esporte comum, o eSport está passando por regulamentações e uma delas é a proibição de compostos que estimulem e aumentem artificialmente o desempenho dos jogadores. A ESL, maior empresa do ramo de organização de torneios de eSport, adotou a lista de substâncias proibidas da Agência Mundial Antidoping. As medidas de punição são definidas caso a caso e vão desde "reter o prêmio em dinheiro/ pontos do torneio à desqualificação e banimento de 2 anos dos eventos da ESL". O Adderall, uma das substâncias proibidas, é um medicamento prescrito para tratar efeitos de Transtorno de Déficit de Atenção, podendo tornar o tempo de reação e reflexos de seu usuário mais rápidos - o que causa uma vantagem significativa em torneios profissionais de games como "League of Legends" e "Counter-Strike". Leia mais

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Jogos