Jogos

Testamos teclados e mouses gamers que custam até R$ 1 mil

Arte/UOL Jogos
Teclados e mouses para gamers são legais, mas não são para todos Imagem: Arte/UOL Jogos

Rodrigo Guerra

Do UOL, em São Paulo

01/08/2016 19h23

Olhe para baixo do monitor e repare em seu teclado. Para a maioria das pessoas, jogar no computador não precisa de muita firula, um mouse e teclado, daqueles bem baratinhos, já basta. Mas com a expansão dos eSports e a divulgação das marcas cada vez mais presente, muitos se perguntam se vale pagar até R$ 1200 para comprar apenas um teclado – e no geral, vale sim.

UOL Jogos reuniu 5 modelos de teclados e outros 5 de mouses e testou nos mais variados jogos como “Counter-Strike: Global Offensive”, “Tree of Savior” e “League of Legends”. Veja as avaliações de cada um dos modelos testados logo abaixo.

Teclados para jogos

  • Imagem: Divulgação
    Divulgação
    Imagem: Divulgação

    G710+

    Fabricante: Logitech | Preço médio: R$ 830
    Tem hora que você quer jogar e não fazer (muito) barulho. A maioria dos teclados mecânicos falham feio nesses casos. Entretanto, o G710+ da Logitech é o mais silencioso de todos os teclados do tipo testados por UOL Jogos. O teclado da Logitech é bastante grande e não é recomendado para quem tem pouco espaço na mesa, mas mesmo assim possui funções interessantes.

    Os botões de acesso rápido e macros são fáceis de serem configurados e podem ter perfis para os mais diversos jogos - o duro é você saber o que fazer com tantas opções. Você pode configurar macros e teclas de atalho facilmente e, caso seja um tantinho preguiçoso, o software da Logitech varre seu computador em busca de jogos e baixa recomendações que podem ser usadas com o teclado.

    O G710+ conta com uma saída USB, que ajuda a diminuir o emaranhado de fios atrás do computador e ainda tem uma iluminação agradável, apesar de ser apenas em um tom. Digitar textos é bem gostoso, apesar do teclado não contar com o padrão ABNT 2, adotado pelo Brasil. É necessário passar um tempo de adaptação para acostumar que a tecla "ç" não existe. Mas tudo bem, afinal, as teclas WASD, usadas em games de tiro, continuam no mesmo lugar.

  • Imagem: Divulgação
    Divulgação
    Imagem: Divulgação

    Force-X 201

    Fabricante: OEX | Preço médio: R$ 220
    Ok. Esse não é um teclado mecânico nem custa o olho da cara, mas tem o 'feeling' gamer para quem não tem (ou não quer) gastar os tubos com esse tipo de periférico. As teclas altas e retro iluminadas tornam a experiência de jogar mais confortável que os teclados comuns.

    Porém o Force-X não conta com um software próprio para que você configure ações e macros, o que já é uma enorme desvantagem em comparação aos outros dessa lista. Em compensação, esse foi o único teclado no padrão ABNT 2, adotado no Brasil, testado nessa matéria, tornando a adaptação mais natural e rápida.

    O Force-X aproveita bem o espaço que lhe é dado e as ações são satisfatórias para um teclado comum, mas não espere se tornar um pro-player apenas usando essa peça. No final das contas, serve mais como um produto para testar algumas funções, como iluminação e conjunto multimídia, mas ao alcance de seus dedos.

  • Imagem: Divulgação
    Divulgação
    Imagem: Divulgação

    Blackwidow Chroma

    Fabricante: Razer | Preço médio: R$ 1200
    Quando você pega um Blackwidow Chroma, sabe que tem em mãos uma 'Ferrari' dos teclados. A constituição forte e o aspecto austero fazem com que o teclado da Razer ganhe pontos de respeito apenas com sua presença em cima da mesa. As teclas respondem rápido e com uma precisão bem impressionante e o teclado segue o tamanho padrão, ou seja, se você já joga com seu teclado da Microsoft, não vai ter problemas.

    Como parte da linha Chroma, um dos destaques desse teclado é que o usuário pode mudar a cor de iluminação das teclas e a forma que elas acendem. Falando em teclas, o barulho feito pelas peças em movimento não incomoda, mas é necessário saber que o pessoal do quarto ao lado vai ouvir o clicar intermitente nos momentos mais emocionantes da partida.

    O Blackwidow também não conta com o padrão ABNT 2, mas com um pouco de costume você vai voltar a digitar rapidamente. O sistema da Razer para configuração de teclas rápidas e macros é um pouco difícil de ser usado, mas depois de aprender onde tudo está, logo você vai fazer suas ações nos jogos sem complicações.

  • Imagem: Divulgação
    Divulgação
    Imagem: Divulgação

    Strix Tatic Pro

    Fabricante: Asus | Preço médio: R$ 850
    Sabe quando você encontra aquele teclado que parece que nasceu para seus dedos? Strix Tatic Pro passa essa sensação assim que você encosta nele. Com teclas da Cherry, que usam a tecnologia MX Brown, o ato de jogar se torna um grande prazer.

    As teclas respondem bem ao acionamento, boa parte disso por conta dos 13 botões de macro que podem ser configurados para os mais diversos jogos. Isso já atrai um grande número de jogadores de MMOs e games de estratégia em tempo real.

    Para fazer essas configurações, você vai precisar instalar e aprender a usar o software, que, apesar de ser bastante intuitivo, tem algumas opções mais escondidas. A iluminação tem apenas uma cor e não possui firulas especiais como o Blackwidow Chroma , mas elas servem ao seu propósito.

    O Strix Tatic Pro é versátil, mas não tem teclas no padrão ABNT 2 e ainda fica a impressão de que poderia trazer mais recursos, como uma saída USB ou de fone de ouvido.

  • Imagem: Divulgação
    Divulgação
    Imagem: Divulgação

    MasterKeys Pro L

    Fabricante: CoolerMaster | Preço médio: R$ 900
    A Cooler Master conseguiu um belo feito com seu teclado mecânico, que é confortável e bastante personalizável. Para isso ela foi atrás da tecnologia Cherry MX para suas teclas e o resultado é um aparelho feito para quem entende de jogar no computador.

    Por ser importado, o teclado não tem o padrão ABTN 2, usado no Brasil, mas compensa em diversas outras áreas, como o conforto em digitar e fazer comandos em jogos, mesmo não contando com um repouso para o pulso.

    Diferente do G710+, o MasterKeys Pro L não possui teclas de atalho para macros, mas com poucos comandos você pode configurar o teclado da forma que quiser. O software do teclado permite que você até determine as cores individuais dos botões, deixando mais útil a função de retro iluminação, indo além da estética.

Mouses para jogos

  • Imagem: Divulgação
    Divulgação
    Imagem: Divulgação

    Steel MS 305

    Fabricante: OEX | Preço médio: R$ 110
    Levando em consideração que o Steel MS 305 da OEX é um mouse de baixo custo, ele desempenha bem sua função de levar a mira para onde você quer atirar e ainda traz um design legal. A base metálica confere uma agradável sensação de peso e presença, mas pode atrapalhar quem prefere um mouse mais leve.

    Com resolução ajustável para 1600, 2400, 3200 e 4000 dpi, o Steel MS 305 tem 7 botões totalmente personalizáveis, com função macro e iluminação LED frontal.

    Entre tantas qualidades, existe um problema sério com esse mouse: o fio é muito curto. Na peça enviada para testes, o mouse tinha um cabo de apenas 1,2 metros, muito pouco para quem deixa a máquina fora da mesa, por exemplo. A OEX prometeu que nos próximos lotes o cabo será aumentado para o 1,8m.

  • Imagem: Divulgação
    Divulgação
    Imagem: Divulgação

    Strix Claw

    Fabricante: Asus | Preço médio: R$ 400
    Confortável e versátil, o mouse gamer da Asus só falta jogar por você. Com ótima ergonomia, os botões do seu dedão e o apoio para a palma da mão permitem horas de jogo sem cansar.

    Com 5000 dpi, o Strix Claw responde bem, mas não surpreende. O software de configuração permite gravar macros e alterar a forma que o acessório se ilumina, mas fica faltando algo que o teclado Strix Tatic Pro tem de sobra: aparência de um produto refinado.

    O material emborrachado do Strix Claw dá a impressão errada de que esse mouse é de qualidade inferior, mas seu preço de R$ 400 deixa bem claro que está para bater de frente com modelos da Logitech e da Razer.

  • Imagem: Divulgação
    Divulgação
    Imagem: Divulgação

    G402

    Fabricante: Logitech | Preço médio: R$ 200
    Um modelo com teclas específicas para ajuste de precisão, o que é ótimo para jogos de tiro, por exemplo. Você clica e muda para deixar a mira mais firme e, ao soltar o clique, volta à resolução anterior. Dessa forma, consegui deixar as outras teclas para outros tipos de macros, o que ajudou muito nas partidas de "Counter-Strike".

    Com 4000 dpi, o G402 tem uma boa pegada e a palma da mão se aconchega quase que perfeitamente nas costas do mouse. Aqui não existem tantos botões para macro quanto em outros modelos (são 'só' 8) e a iluminação é agradável, mas nada excepcional.

  • Imagem: Divulgação
    Divulgação
    Imagem: Divulgação

    Diamondblack Chroma

    Fabricante: Razer | Preço médio: R$ 650
    O clássico mouse da Razer, que deu à empresa o status de uma excelente fabricante de periféricos, está de volta. Com design oval e longo, propício tanto para a mão esquerda, quanto para a direita, ele quase deixa o jogador com a mão no formato de garra, mas é extremamente confortável de ser usado.

    O Diamondblack Chroma é um mouse com sensor laser de 16 mil dpi e laterais emborrachadas para deixar a pegada mais precisa. O mouse tem 9 botões que podem ser configurados da forma que você quiser, tudo graças ao sistema de configurações bem produzido pela Razer - o melhor programa de ajustes dessa seleção. A rodinha do Diamondblack Chroma é um pouco irritante, pois faz um barulho um tanto alto demais.

    Mas o preço, o velho inimigo da Razer, é o que mais desagrada. Por mais clássico que o Diamondblack seja, o preço de R$ 650 está acima demais da média do mercado. Não há dúvidas de que seja um excelente mouse, mas o valor é bem salgado.

  • Imagem: Divulgação
    Divulgação
    Imagem: Divulgação

    DeathAdder Chroma

    Fabricante: Razer | Preço médio: R$ 400

    Confortável, bonito e com 10 mil dpi, o DeathAdder Chroma é mais barato e com um custo-benefício bastante atrativo em relação a outros modelos da Razer.

    Feito para destros, o DeathAdder Chroma tem um sistema de configuração invejável (o mesmo do Diamondblack) e 5 botões de configuração, nos quais você pode definir macros ou mesmo fazer ações específicas do jogo, como recarregar em um jogo de tiro, ou voltar para a visão da base em um título de estratégia.

    Jogar com esse mouse é gostoso, mas preste atenção: ele é feito para destros. Ou seja, opção pouco convidativa para os canhotos.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Jogos

Topo