Topo

Jogos

Nintendo

China cria comitê de análise de games e gera esperanças de novas aprovações

China é o maior mercado de games do mundo

Pei Li and Adam Jourdan

Da Reuters, em Pequim

10/12/2018 12h56

Autoridades chinesas montaram um comitê de ética em videogames online que já analisou 20 títulos, informou a mídia estatal, aumentando as esperanças de que o governo esteja se preparando para retomar um processo de aprovação que está congelado há quase um ano.

A China, maior mercado de videogames do mundo, parou de aprovar novos títulos em março, em meio a uma reforma regulatória, desencadeada pelas crescentes críticas aos jogos por serem violentos e causarem miopia, além do vício entre os jovens usuários.

O congelamento de novas aprovações pressionou as ações relacionadas a videogames e prejudicou as perspectivas para os jogos para celulares, com a líder do setor, Tencent Holdings, registrando seu primeiro declínio nos lucros em mais de uma década no trimestre de junho.

Mas em sinal de que o fim da incerteza regulatória pode estar próximo, a mídia estatal Xinhua informou na noite de sexta-feira que o novo comitê de ética dos videogames - sob a orientação do departamento de propaganda do Partido Comunista Chinês - já analisou 20 jogos.

O comitê solicitou uma reformulação de 11 títulos para "eliminar o risco moral" e rejeitou os nove restantes citando conteúdo impróprio, acrescentou a Xinhua.

Especialistas do setor saudaram a decisão do comitê formado por especialistas em jogos e problemas da adolescência de universidades, associações industriais, instituições de pesquisa e meios de comunicação.

"Nós vemos isso como um passo progressivo com direções estratégicas mais prováveis ??de serem divulgadas até o final deste mês", disse a Jefferies em nota. "Isso poderia ser seguido por um anúncio de cronograma de retomada das aprovações (de jogos) antes de meados de 2019."

A Tencent se recusou a comentar. A empresa perdeu mais de 100 bilhões de dólares em valor de mercado desde o início do ano em meio à incerteza regulatória.