Topo

Jogos

PC

Jogamos: "Battlefield V" quer mostrar a Segunda Guerra que você não conhece

Rodrigo Lara

Colaboração para o UOL

18/10/2018 10h00

Nada como um dia após o outro: depois de ser tido como um tema "esgotado" pelo gênero de jogos de tiro na última década, a Segunda Guerra Mundial voltou a virar tendência nesse tipo de game.

Prova disso é que as duas principais franquias do estilo marcaram seu retorno a esse período histórico. O primeiro passo foi dado por "Call of Duty WWII", game de 2017 e que marcou um retorno da franquia às suas origens. Já no próximo dia 20 de novembro será a vez de "Battlefield" fazer esse mesmo caminho.

VEJA TAMBÉM

Falamos, claro, de "Battlefield V", o próximo capítulo da série de games de tiro famosa por trazer modos multiplayer com dezenas de jogadores, além de cenários destrutivos e uma grande ênfase no jogo de equipe. Nós já contamos aqui as nossas impressões do modo multiplayer do game, uma vez que foi possível testar a modalidade durante um período beta do game há cerca de um mês.

Faltava, porém, ter uma noção de como seria o modo história do jogo. O UOL Jogos pode ter um gostinho dele durante um teste promovido pela EA no começo de outubro. O modo história de "Battlefield V" ganhou um peso adicional, uma vez que a edição de 2018 da franquia concorrente, "Call of Duty: Black Ops 4", será um jogo totalmente multiplayer.

A Guerra que (quase) ninguém conhece

Em "Battlefield V", a EA e a Dice decidiram abordar a narrativa contando histórias que foge da obviedade. Isso significa que não teremos uma recriação do Dia D ou, ainda, de passagens famosas da Segunda Guerra, mas sim um retrato do conflito feito a partir de outras frentes de batalha menos exploradas em narrativas que retratam a época.

O game, assim como foi em "Battlefield 1", terá sua história dividida em capítulos diferentes, cada um contando a experiência do conflito sob a ótica de personagens com história, nacionalidade e missões totalmente distintas.

Em um desses capítulos experimentados, jogamos como uma mulher membro da resistência norueguesa que se vale de táticas de guerrilha na tentativa de frustrar os planos do exército nazista. Nesse capítulo, especificamente, a ideia não é partir para confrontos abertos, mas, sim, tentar eliminar os inimigos chamando o mínimo de atenção. É uma abordagem bem distinta daquilo que estamos acostumados a ver em games do gênero.

Cada um desses capítulos acaba apresentando variações da jogabilidade, enfatizando aspectos diferentes do game, como a possibilidade de controlar veículos ou, ainda, enfrentando exércitos inimigos em um combate mais franco.

Ainda que não tenha sido um teste extremamente abrangente, é possível ver que a Dice se preocupou em trazer uma narrativa bem contada e com um forte aspecto humano envolvido. Os próprios produtores alegam que a ideia de separar o game em capítulos, contando histórias individuais, é uma forma de reforçar o aspecto humano dos personagens. Pelo que experimentamos, a produtora obtém sucesso nessa empreitada.

Mais do que isso, no entanto, vamos poder ver apenas quando o game for lançado daqui pouco mais de um mês. "Battlefield V" terá versões para PC, PlayStation 4 e Xbox One.