Game of Thrones

André Forte

do Gamehall

05/04/2012 18h20

Série muito popular no canal pago HBO, "Game of Thrones" nasceu nos livros de George R.R. Martin em 1996 e desde então já vendeu mais de 15 milhões de cópias em todo o mundo.

Um dos grandes feitos de "Game of Thrones" foi mostrar um mundo medieval diferente do que os fãs do tema estavam acostumados a ver em "Lord of the Rings", em que a política, traição e um enredo que não tem medo de matar personagens populares tomou o lugar de batalhas épicas entre tropas gigantescas.

PERSISTÊNCIA DE FÃS

  • Os produtores da Cyanide garantem que antes de desenvolvedores, todos são fãs de "Game of Thrones", e que por isso lutaram para poder criar um jogo da série. Segundo Veauclin, o Cyanide teve de ser persistente para convencer o autor George RR Martin a vendê-los os direitos para o game. "Nós batemos na sua porta, nos apresentamos e dissemos que antes de tudo, éramos fãs dos livros. Isso contou muito".

Após ter sua licença adquirida - e não utilizada - pela EA, o estúdio francês Cyanide Studios resolveu investir na produção e levá-la aos videogames. Após lançar o jogo de estratégia de "Game of Thrones: Genesis" para PCs, a Cyanide está preparando um novo jogo pitadas com RPG e ação, algo até inédito para seus desenvolvedores.

"Já nos interessamos por RPG há um bom tempo, mas não nos sentíamos prontos para assumir a experiência", disse o líder de projetos Thomas Veauclin em entrevista ao site da revista Game Informer.

Agora, entretanto, o Cyanide se sente preparado e promete surpreender aos fãs do gênero e também da série. "Nós jogamos qualquer tipo de RPG e sabemos exatamente o que queremos fazer com a licença e qual o estilo que investiremos. Estamos certos de que daremos o nosso melhor em 'GoT'", prometeu.

No embalo da TV

Em desenvolvimento há mais de dois anos, "Game of Thrones" viu a série da HBO estrear com uma ótima recepção da crítica e do público. Ao contrário do que possa parecer, o Cyanide não se diz mais pressionado por conta da maior popularidade da série.

"Ficamos encantados com a série do HBO, mas a pressão já existia antes do seriado de TV. Não foi um devaneio que nos levou a assumir a tarefa de desenvolver um RPG da trama. Sabíamos que era uma grande marca e já nos sentíamos pressionados por sucesso".

SEM MULTIPLAYER

  • Na contramão de muitos jogos da atualidade, "Game of Thrones" não terá modo multiplayer."Pensamos muito sobre isso, mas acreditamos que um RPG de aventura típica deve ser jogado sozinho. O jogador quer viver sua própria aventura e fazer suas próprias escolhas sem ter que justificar suas decisões. E acredite em mim, teremos escolhas a serem feitas!", disse o produtor.

Por outro lado, o estúdio percebeu que podia tirar proveito da popularidade do seriado para dar uma 'cara' ao seu jogo. "Sabíamos que a série do HBO definiria a aparência de Westeros aos olhos de muitos. Embora nosso jogo não seja uma cópia fiel do livro, nem da série de TV, pensamos que seria uma boa se pudéssemos trabalhar juntos com eles. Aí o Cyanide fez contato com o canal", explicou.

A trama do jogo começa no mesmo ponto que o livro, pouco antes da morte de Jon Arryn, mas apesar do estúdio não dar muitos detalhes, sabe-se que o enredo é construído em torno dos bastardos do rei Robert.

"Por razões de jogo e ao contrário dos livros, nós não poderíamos ter uma infinidade de personagens principais e, portanto, limitamos a trama a dois heróis centrais. Eles são opostos um ao outro e estão separados desde o início, a ação do jogador que os unirá", explicou.

"A história se desenrola da mesma forma como nos livros, com cada capítulo focado em um herói diferente, até que as suas tramas se combinem".

Enquanto os produtores desconversam sobre quais personagens podem ser vistos no jogo, é certo que o game tenha locais conhecidos. "Estamos investindo muito tempo na criação de nossa própria história e locais únicos, mas os jogadores poderão passear por Porto Real ou congelar a mão na Muralha", completou.

INSPIRAÇÃO DA BIOWARE

  • A Cyanide afirma que sua maior preocupação é em construir uma história central forte, então o jogo pode ser comparado a "Dragon Age" ou "Mass Effect" - ambos da Bioware -, no quesito de diálogo entre personagens. "No entanto, também queremos manter os princípios de um RPG de ação tradicional e alguns elementos chaves desse gênero não podem ser evitados", disse Veauclin

Combates e classes

Em "As Crônicas de Gelo e Fogo", os personagens tem elementos de magia, mas a maioria dos combates são representados por luta armada. Segundo Veauclin, o RPG terá dois tipos de personagens e ambos terão poderes sobrenaturais.

Outra preocupação dos produtores é a respeito do sistema de classes. "Ambos os heróis poderão ter até três classes que são únicas para cada um. Uma classe determina a árvore principal de combate do personagem, além de uma futura árvore de opções para se desbloquear ao fim do jogo".

Além disso, o jogo prevê que cada herói terá pontos de experiência (XP) que são acumulados ao longo da jornada, dependendo do combate e resolução das missões. "Você poderá desbloquear habilidades, capacidades, golpes e algumas características especiais que só serão destravadas após a realização de certos atos heroicos", finalizou.

ASSISTA AO TRAILER DE "A GAME OF THRONES"

  •  

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Jogos

Topo