Jogos

Mad Max

Luiz Hygino

Do UOL, em São Paulo

18/03/2015 14h54

É praticamente impossível nunca ter ouvido falar de Max Rockatansky, ou melhor, de Mad Max, o patrulheiro policial vivido por Mel Gibson, que depois de trágicos acontecimentos, envolvendo não apenas sua família, mas todo o planeta, se tornou uma lenda, o Guerreiro das Estradas.

A trilogia original de filmes - alguns dos maiores sucessos de bilheteria da história da Austrália - estreou em 1979, com sequências em 1981 e 1985. Mel Gibson era um jovem de 23 anos quando encarnou Max pela primeira vez, ainda muito longe de se tornar o astro internacional que é hoje.

30 anos depois, Max voltará às telonas, em “Mad Max: Estrada da Fúria”. Tom Hardy (o Bane de “Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge”) viverá o papel principal dessa vez, ao lado de um elenco de celebridades, que inclui a musa ganhadora do Oscar, Charlize Theron.

Mas, a não ser que o layout deste site esteja te enganando, este ainda é o UOL Jogos, e não o UOL Cinema, então vamos ao que interessa.

Um novo Max

Em desenvolvimento pela Avalanche Studios, produtora sueca responsável pela franquia “Just Cause”, “Mad Max” será um jogo de mundo aberto, de muita ação em terceira pessoa, com foco especial na condução e nos combates entre carros e motos, assim como os filmes de George Miller.

Mas, além da inspiração no clássico personagem e do universo criado há décadas, não há ligação entre o Max dos cinemas e o Max dos videogames.

  • Divulgação

    O criador da saga, George Miller, participou ativamente da produção de "Mad Max"

“Não estamos presos ao passado que vimos nos filmes. Estamos redefinindo quem é o Mad Max, apesar de na essência, a visão de George Miller estar presente. Mas nós resetamos o personagem. Esse novo Max é cheio de defeitos, mas também passou por muito treinamento militar. Ele é um guerreiro treinado, um lutador treinado, e um sobrevivente treinado”, explicou Frank Rooke, diretor do jogo, em entrevista à revista Game Informer.

Antes que os fãs mais antigos e fervorosos da série soltem fogo pelas ventas, é importante esclarecer que o próprio criador da série foi parte do grupo que decidiu manter o jogo independente dos filmes, reinventado o cenário e os persongens.

“George Miller esteve muito envolvido com o jogo. A terra devastada é baseada em muitas regras que George nos apresentou durante muito tempo trabalhando conosco. Mesmo os persongens do jogo foram criados por ele e por sua equipe” contou Peter Wyse, vice-presidente de produção e desenvolvimento da Warner Bros. Interactive, distribuidora do jogo.

“Em determinado momento da produção, com a história e os personagens bem definidos, deixamos a equipe da Avalanche livre e focada pra dar vida a esse enorme mundo aberto, do jeito louco que só a Avalanche sabe fazer. E mesmo isso acontecendo ao mesmo tempo que o novo filme era feito, George Miller continuou sendo informado sobre tudo o que acontecia”, completou Wyse.

Companheiros de Aventura

Uma das principais características do lendário Max Rockatansky é ser uma espécie de lobo solitário, quase sempre pensando apenas na sua própria sobrevivência. Mas ainda que o Max do novo jogo seja ainda mais egoísta que o Max da telona, ele estará acompanhado constantemente durante as aventuras do game.

Vagando a pé pelo deserto, depois de ter seu icônico Interceptor V8 roubado, Max tromba com Chumbucket, um habilidoso mecânico que trata carros como divindades - ele mesmo é considerado por muitos como uma espécie de sacerdote dos motores. A grande missão da vida de Chumbucket é criar o carro perfeito, o Magnum Opus, mistura suprema entre máquina de velocidade e arma sobre rodas.

A visão da mecânica enquanto religião, por Chumbucket, é tão forte que ele passa a ver Max como um anjo enviado pelo deus Combustão para ajudá-lo na sua tarefa. E Max em nenhum momento pensa em contrariá-lo, já que o companheiro lhe garante uma das coisas que Max mais procura na vida: um bom carro.

“Max não quer andar com Chumbucket, ele só esta usando-o. Ele nunca vira amigo de Chumbucket. Em pontos avançados do jogo, Max vai acabar construindo laços emocionais, mas é claro que isso não vai acabar bem”, explicou Odd Ahlgren, diretor de narrativa do jogo.

E como Max é conhecido por ser um homem de poucas palavras, Chumbucket é usado pela Avalanche como um “facilitador de diálogos”, além de constantemente apontar pontos de interesse no cenário, já que o futuro pós-apocalíptico não tem GPS.

Pimp My Ride

Uma vez atrás do volante do Magnum Opus, Max - com a ajuda de Chumbucket - pode customizar o carro das mais variadas maneiras. Armas auxiliares, armadura para a lataria, espinhos de defesa, escapamentos cuspidores de fogo, motores barulhentos, um arpão. As opções parecem não ter fim, cada uma delas com sua própria “árvore” de upgrades. E tudo com assinatura da oficina West Coast Customs, ela mesma, aquela do programa “Pimp My Ride”, da MTV.

Graças à presença de Chumbucket, as mudanças e melhorias podem ser feitas em qualquer momento do jogo, mesmo que no meio do deserto. Cada uma das modificações requer uma série de peças específicas, obtidas de diversas formas diferentes, como missões, exploração e, principalmente, da destruição de carros de adversários.

  • Divulgação

    Serão 10 elementos para se trabalhar no Magnum Opus: Ataque, Defesa, Armamento, Velocidade, Aceleração, Controle, Pulverização, Velocidade de Reparo e Defesa contra Embarque Inimigo

Serão 10 elementos para se trabalhar no Magnum Opus: Ataque, Defesa, Armamento, Velocidade, Aceleração, Controle, Pulverização, Velocidade de Reparo e Defesa contra Embarque Inimigo.

Mas uma das características mais interessantes do sistema de construção e melhoria do carro é que não existirá um modelo perfeito. Não se trata de simplesmente comprar e aplicar um esquema linear de upgrades. Certas customizações são incompatíveis umas com as outras, ou pioram determinado atributo, enquanto melhoram outro.

“Não queríamos um sistema óbvio, do tipo ‘isso resulta nisso e só’. Se você só quer causar mais dano, é só colocar um para-choque mais agressivo. Se só quer ir mais rápido, melhore o motor. Mas se você quer ir mais fundo no carro, realmente entender como ele se comporta, cuidar de tudo, será preciso entender o equilíbrio entre tudo. Mas de uma forma divertida, nosso objetivo não é ser um simulador, ou coisa do gênero”, explicou Frank Rooke.

Apesar do jogo não ter nenhum modo multiplayer, será possível exibir as versões do Magnum Opus para outros amigos que tenham o jogo, no que os produtores chamam de “Magnum Wars”.

  •  

Terras Devastadas

Os motivos da queda da humanidade nos filmes de Mad Max, ainda que não detalhadamente explicados, sugerem uma feroz guerra nuclear entre duas potências mundiais (vale lembrar, os filmes são contemporâneos da Guerra Fria). No jogo no entanto, as razões são completamente novas, e sugerem consequências do descaso ambiental da humanidade.

Nos dois casos, no entanto, o planeta fica quase que completamente seco. Mesmo os oceanos desaparecem. E esse desaparecimento é uma das inspirações dos produtores do jogo para compor as lendárias Terras Devastadas.

“Vimos muitos cenários interessantes, abaixo d’água, coisas que existem em nosso mundo, e nos perguntamos: como isso iria parecer se tirássemos toda a água? Esse foi o pensamento na criação de algumas das áreas. É algo diferente, mas ainda faz parte das Terras Devastadas”, explicou o produtor John Fuller.

Será comum encontrar, nesses locais do mapa do jogo, formações de corais, antigas cavernas submarinas e até navios encalhados, transformados em fortalezas por algumas das tribos do jogo.

“Nosso artista conceitual se inspirou nas imagens clássicas de fantasia. Ele gosta muito do contraste de cores e de visuais de tirar o fôlego, como um pôr-do-sol dramático, com silhuetas de formações rochosas. Não parece ser a inspiração mais óbvia para um ‘Mad Max’, mas foi fundamental para criar um cenário rico e imersivo para as Terras Devastadas”, finalizou Fuller.

Mas pra quem assume que o jogo - assim como os filmes - se passa nas terras que anteriormente formavam a Austrália, o designer Emil Kraftling esclarece.

“Não sabemos onde fica o cenário, no mundo. O jogador não sabe onde está. Os personagens não sabem onde estão. Há esse mistério que envolve as Terras Devastadas”, disse Kraftling.

Disposto a provar que sim, nós precisamos de outro herói, e sempre munido de sua espingarda serrada de uma mão, Max Rockatansky chegará em “Mad Max”, para PS4, Xbox One e PC no dia 1º de setembro.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Jogos

Topo