Mario Maker

Claudio Prandoni

Do UOL, em São Paulo

Vale o clichê: o aniversário é do Super Mario, mas quem ganha o presente somos nós.

Na verdade, não é tão simples assim... nós é que vamos construir os presentes para celebrar os 30 anos do lendário "Super Mario Bros.".

Em "Super Mario Maker" a Nintendo entrega pela primeira vez 'as chaves do reino' para os fãs do herói bigodudo criarem fases de aventura no bom e velho estilo 2D.

São quatro estilos diferentes - "Super Mario Bros.", "Mario Bros. 3", "Mario World" e "New Mario U" - que mudam tanto o visual das fases quanto as habilidades disponíveis.

O estilão mais clássico do game original traz poucos requintes, enquanto "Mario Bros. 3" traz a folhinha de guaxinim para voar, "World permite rodopiar" e "New U" traz até os saltos na parede!

Mãos à obra!

"Mario Maker" promete ser um dos jogos a utilizar de forma mais prática e intuitiva o ainda contestado GamePad do Wii U: na telinha do controle é possível selecionar os itens e ferramentas a utilizar, assim como visualizar cenários quadriculados para montar sua fase. Lembra muito o estilo casual do clássico "Mario Paint", do Super Nintendo.

Para colocar os itens é só usar a canetinha stylus ou até mesmo dar uma chacoalhada em cada objeto para mudar seu formato. Um fantasminha, por exemplo, se transforma em uma roda giratória de assombrações, uma tartaruga verde vira uma com casco vermelho e assim por diante, vale experimentar bastante.

Um ponto prático é que pode-se testar os níveis a qualquer momento e até acompanhar um 'rastro' deixado pelos pulos do Mario, que ajudam a criar saltos longos e difíceis.

Aperte o botão, uma claquete entra em cena e a ação começa. Aperte de novo e tudo volta para a prancheta.

"Mario Maker" traz uma maneira interessante de lidar também com as quase infinitas possibilidades de criação: a princípio, elas são bem limitadas.

Ao jogar pela primeira vez são apenas alguns itens bem básicos disponíveis. Conforme os dias passam, você vai criando e aprendendo a usar o que tem à mão, novas bugigangas são liberadas pelo game.

Mario Maker
Mario
 
 
Maker

Sozinho, mas em comunidade

Criar e jogar - ou vice-versa - não é a única maneira de aproveitar "Mario Maker".

Como já seria de se esperar em um game do tipo, há um robusto sistema online por trás que permite compartilhar suas fases e achar outras criadas por amigos e desconhecidos. É possível até mesmo seguir seus criadores favoritos para ficar de olho em novas invenções.

Vale notar, há um esquema inteligente para evitar que fases impossíveis pipoquem pela rede: antes de compartilhar online, o criador deve provar que é capaz de vencer o próprio nível.

Justamente com essas fases criadas por outras pessoas o game dá vida a modos de jogo pitorescos. O 100 Mario e o 10 Mario Challenges desafiam a cumprir o máximo de fases criadas pela comunidade e selecionadas aleatoriamente com, respectivamente, 100 e 10 vidas à disposição.

"Super Mario Maker" traz também suporte aos cobiçados Amiibos. Use um com o jogo e um cogumelo especial aparecerá permitindo que Mario use uma 'fantasia' do personagem em questão.

A variedade é grande e vai desde versões 8-bit de Link, Marth e até a Wii Fit Trainer e passa por escolhas pra lá de inusitadas, como Mega Man e uma versão 16-bits do eterno rival Sonic!

Aliás, "Super Mario Maker" marca também a chegada de dois novos Amiibos, na forma de versões retrô do próprio mascote da Nintendo. Com visual de pixels, como se fossem feitos de bloquinhos, mostram o Mario em duas cores: a clássica, do primeiro "Super Mario Bros.", e outra mais recente, com macacão azul e blusa e boné vermelhos.

Usar esse Amiibo especial faz aparecer um cogumelo enorme, que deixa Mario gigante, acrescenta bigodes vistosos em todos os inimigos e ainda aplica um filtro retrô na tela, como se estivesse jogando em uma velha TV de tubo.

UOL Cursos Online

Todos os cursos