Topo

Bandas brasileiras mesclam música com paixão por games; conheça três grupos

André Caceres

Do UOL, em São Paulo

23/12/2013 16h11

Jogos lendários como Mario e Zelda possuem músicas inconfundíveis que você certamente já se pegou cantarolando alguma vez.

Pois saiba que existem bandas dedicadas a tocar versões desses clássicos, compor outros temas do mesmo estilo e relembrar games nostálgicos por meio das trilhas sonoras.

Essa é a essência da game music, gênero que vem se popularizando através de eventos como o Video Games Live, Game Music Brasil, MAGFest, entre outros.

O UOL Jogos conversou com alguns desses artistas que mesclam as paixões por música e videogame para saber mais sobre esse cenário.

Conheça as bandas brasileiras de game music!

BIT.PLAYERS

Desde: 2012 | Sites: http://marcoscastro.com.br/blog / www.bitplayers.com.br
Humorista, formado em matemática, celebridade da internet e músico, Marcos Castro é multifacetado. Com dois anos e meio de sucesso no YouTube e mais de 800 mil inscritos em seu canal, ele não se dedica exclusivamente à música. Em meio aos vlogs e vídeos de humor, os irmãos Marcos e Matheus Castro compõem paródias de canções conhecidas com uma pitada gamer nas letras com a série “Um Joystick, Um Violão”.

Integrantes

Marcos Castro - Violão
Matheus Castro - Voz
Daniel Braga - Teclado
Arkady Zalkowitsch - Baixo
Bruno Villar - Guitarra
Bruno Menezes - Guitarra
Rafael Santana - Bateria
 


Para o youtuber, música e games têm tudo a ver. “Os gamers adoram música, tanto é que um dos critérios mais importantes de um jogo para os fãs é a trilha sonora”, afirma Marcos, que admite não ser possível sobreviver apenas com game music hoje em dia. “Apesar de o mercado estar crescendo, esse tipo de música ainda é ligada a um nicho muito estreito”.

Ele diz que adoraria fazer a trilha sonora de um jogo caso fosse convidado, mas confessa que não é muito íntimo do universo dos games independentes. “Eu sou mais mainstream, mas o meu irmão é muito mais ligado em jogos do que eu”.

No final de 2012, eles fundaram a banda Bit.Players, que toca essas versões com uma pegada mais rock ‘n’ roll. O grupo já se apresentou em diversos eventos relacionados ao universo nerd. “Como o público já conhece os temas dos jogos, sabe o que esperar das músicas e é difícil desapontá-los”, conta o músico.

OS GAMEBOYS

Desde: 2007 | Sites: www.gameboys.com.br/site | www.facebook.com/osgameboys
Formada em 2007, Os Gameboys é uma banda brasileira de game music que já chegou a compor um arranjo para a trilha sonora do jogo "Out There Somewhere", da desenvolvedora nacional Miniboss. “Foi muito legal fazer uma música para esse game, até porque a composição de trilhas é um dos objetivos da banda”, revela Ricardo Marques.

Integrantes

Ricardo Marques - Guitarra
Wilson Esteves - Teclado
Pedro Henrique - Baixo
Joel Bertolini - Bateri


Os integrantes do grupo são todos formados em música e se conheceram na faculdade, mas a paixão pelos games sempre esteve presente para eles, e a banda foi uma maneira de tocarem os temas clássicos que ouviam desde a infância. Desde então já se apresentaram em eventos relacionados ao universo gamer, mas também tocaram para públicos que não necessariamente gostavam de jogos.

“Os gamers não se interessam tanto pela música em si. A relação deles é mais nostálgica. Tocar para plateias comuns é diferente porque eles prestam atenção na melodia sem conhecer”, compara o guitarrista, que acredita no desenvolvimento para o cenário de música relacionada a games, embora a cena ainda esteja pouco desenvolvida.

“É emergente, pouco profissionalizado e não há eventos constantemente, apenas ocasiões pontuais. Nunca vai ser igual o pop, mas deve crescer a médio e longo prazo, pois o Brasil é um dos maiores mercados consumidores de games do mundo”.

MEGADRIVER

Desde: 2003 | Site: www.megadriver.com.br
Com 10 anos de existência, a Megadriver é uma das bandas mais antigas e respeitadas da game music brasileira. Pioneiros nesse estilo, os músicos mesclam influências do heavy metal com as famosas canções de jogos clássicos para relembrar seus títulos prediletos. “A música é um pretexto para prestarmos uma homenagem e não deixarmos os games antigos caírem no esquecimento”, disse Nino MegaDriver, líder da banda, ao UOL Jogos.

Integrantes

Nino - Guitarra
Brunão - Guitarra
Arthur - Baixo
Jeff - Bateria
Allan Big Thunder - Voz


O músico, cuja guitarra tem o formato da cabeça do ouriço Sonic, acredita que existe espaço para as bandas desse gênero e que o cenário deve crescer cada vez mais no Brasil.

“Antigamente, os nerds sofriam um certo preconceito. Era impensável uma banda de rock tocar o tema do Sonic há dez anos. Hoje em dia, quem não é gamer?”. Atualmente, com a popularização da tecnologia e dos consoles, essas barreiras diminuíram e a Megadriver já tocou até para plateias não exclusivamente compostas por jogadores e amantes de jogos. “[Tocar na Virada Cultural] foi uma das coisas mais insanas que a banda já fez”, relembra Nino.

Ele reconhece que a nostalgia é muito importante para o sucesso das bandas de game music, mas afirma nunca ter se limitado a apelar para melodias conhecidas. Mesmo tendo a vantagem de possuir um público fiel por tocar temas de jogos, o guitarrista diz que é difícil sobreviver na música, mas revela que a maior parte dos fãs da Megadriver é de fora do país – apenas 40% dos downloads no site da banda são de brasileiros.

Graças a todo esse reconhecimento no exterior, o grupo foi convidado para tocar na 12ª edição da MAGFest, evento voltado para o público gamer, que acontece em janeiro de 2014 em National Harbor, no estado de Maryland, nos Estados Unidos e deve receber cerca de 12 mil pessoas. “É um sonho realizado e um orgulho enorme”, conta Nino, que pretende abrir portas para que o cenário nacional cresça ainda mais.

Mais Jogos