Mobile

82% dos jogadores brasileiros joga no celular, diz pesquisa

Do UOL, em São Paulo

06/02/2015 15h19

Apresentada ontem (6) na Campus Party 2015, em São Paulo, a pesquisa Game Brasil 2015 traça um perfil do jogador de videogames brasileiro. Segundo a pesquisa, a plataforma favorita dos brasileiros não é nem PlayStation nem Xbox, mas o celular: 82,8 % dos entrevistados jogam em smartphones.

"O mercado mobile se consolida como a maior plataforma de jogos, porém a barreira da compra continua sendo o maior desafio para quem desenvolve, uma vez que 75% das pessoas só fazem downloads gratuitos", disse Guilherme Camargo, CEO da Sioux, empresa que realizou a pesquisa.

A pesquisa Game Brasil 2015 foi realizada em janeiro. Foram entrevistadas 909 pessoas em todo o Brasil.

ONDE O BRASILEIRO JOGA

. 78,6% joga em mais de uma plataforma
. 82,8% joga no smartphone
. 71,3% joga no computador
. 56,2% joga em consoles
. 37,4% joga em tablets
. 6,1% joga em Smart TVs

Meninos e meninas

A pesquisa aponta um crescimento na participação do público feminino dentro da comunidade de jogadores. Em 2013, as mulheres eram 41% dos jogadores brasileiros. Hoje são 47,1% do público, porém apenas 9,3% se considera "gamer de verdade". "A maioria joga como uma forma de entretenimento casual", disse Guilherme.

Também é notável a relação entre pais e filhos com videogame. 90,6% dos pais entrevistados disseram que os filhos jogam em alguma plataforma. Desses, 71,2% gostam que os filhos joguem, mas com algumas ressalvas.

PAIS E FILHOS NOS GAMES

. 90,6% dos pais dizem que os filhos jogam em alguma plataforma
. Destes, 71,2% gostam que os filhos joguem, mas com ressalvas
. 48,9% dos pais supervisionam o tempo que os filhos jogam
. 35,1% regulam o horário em que os filhos podem jogar
. 22% dos pais monitoram com quem os filhos jogam
. 14,4% dos pais não controlam a atividade
. 82,1% dos pais jogam junto com os filhos
. Nenhum pai entrevistado se opõe aos filhos jogarem videogame

"Os jogadores dos anos 1980 já constituem família e a cultura de jogos eletrônicos entra de maneira natural nas vidas de seus filhos; não existe o medo ou preconceito da geração dos seus pais", concluiu Guilherme Camargo.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
do UOL
UOL Jogos
do UOL
UOL Jogos
UOL Jogos
UOL Jogos
do UOL
UOL Jogos
do UOL
UOL Jogos
do UOL
UOL Jogos - Link Externo
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Jogos
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Jogos
do UOL
do UOL
UOL Jogos
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Jogos
UOL Jogos
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Jogos
do UOL
do UOL
Topo