Topo

Geek

Fã de "Uncharted" e "Mario", Kelly Key não gosta do Xbox

Rodrigo Guerra

Do UOL, em São Paulo

13/04/2015 10h00

"Acho que encontraram um caminho com gráficos bacanas, uma história que você toma decisões, que te enganam um pouco, mas de uma forma bem legal". Kelly Key, cantora pop e gamer, fez essa microanálise de "The Walking Dead" à reportagem de UOL Jogos e mostrou que entende e curte muito jogar videogame.

A carioca de 32 anos, dona de hits como "Baba", "Barbie Girl" e "Controle" é uma nerd de primeira. Gosta de "Game of Thrones" (está lendo os livros antes de assistir à série), "Shadow Falls" e mitologia grega. Tem um PS3, um PS4 e Wii em casa, mas o Xbox não está na lista "Não, não gosto, não vi nenhum game que eu gostei".

Sua fixação por videogames vem desde a infância. "Nós jogávamos o dia inteiro. Eu e meu irmão não desgrudávamos do 'Pitfall', 'Mario' e 'Sonic'. Tive todos os videogames desde então", confessa.

O tempo passou e, hoje em dia, Kelly se diz fã de "Uncharted" e "jogos de guerra" como "Call of Duty". Aliás, ela gosta de jogar principalmente online: "Sempre que tenho um tempinho livre, eu vou jogar alguma coisa online. E eu grito e xingo muito, mas sempre me divirto com a galera", diz.

  • Divulgação

    "Encontraram um caminho com gráficos bacanas e uma história que você toma decisões", "The Walking Dead" é um dos jogos favoritos de Kelly Key

Seu companheiro de aventuras é o filho da cantora, Jaime Vitor, de 10 anos de idade, que a mantém informada de tudo que acontece no mundo dos games. É ele quem escolhe os jogos da família e apresentou a ela "The Walking Dead". Porém, existem alguns jogos que Vitor escolhe e que Kelly não gosta, como "GTA" e "Mario Galaxy", por exemplo.

Também quebra a cara quem pensa que ela gosta de games musicais. "Não, não gosto, acho bobo. Pra cantar prefiro videokê nas festas", explica. Kelly corre de kart, mas não dispensa o cockpit que tem em casa para jogar "Gran Turismo" e usa o Balance Board para fazer yoga com "Wii Fit". Os jogos de futebol ela também dispensa. "Eu gosto de futebol, mas no videogame eu deixo de lado. Fico muito tensa, nervosa demais".

Já antes de dormir, os games de celular a acompanham na cama, como "Hay Day", "Stop" e "Framed". "Fico tanto tempo com esses jogos na cama que meu marido me fala para parar e ir dormir".