Topo

Jogos

eSport


"Preconceito no jogo diminuiu", diz musa transexual de "League of Legends"

Pablo Raphael

Do UOL, em São Paulo

09/07/2016 15h11

Os jogadores de "League of Legends" estão amadurecendo. É nisso que acredita a streamer Rafaela Laet, também conhecida como Queen Bee.

Musa transexual do game no Brasil, Rafaela sempre lidou com a intolerância dos chamados jogadores tóxicos - aqueles que se dedicam a ofender e perseguir outros jogadores, seja dentro do game, nas redes sociais ou em transmissões ao vivo.

"Acredito que o preconceito está diminuindo, que o pessoal que joga está com a cabeça mais aberta", disse Rafaela ao UOL Jogos. "Os jogadores estão amadurecendo junto com o game".

Em 2014, Queen Bee ensaiou uma carreira como pro-player de "LoL", mas agora se dedica a fazer 'streams' do jogo.