Geração YouTube

"Tudo tem seu tempo": Zangado fala em aposentadoria ao lançar biografia

Pablo Raphael

Do UOL, em São Paulo

  • Pablo Raphael/UOL

    Biografia de Zangado foi lançada na 24ª Bienal do Livro, em São Paulo

    Biografia de Zangado foi lançada na 24ª Bienal do Livro, em São Paulo

Aos 28 anos, Thiago é engenheiro civil em Cuiabá, Mato Grosso. Mas, ao vestir uma máscara de hóquei estilizada, ele se torna um dos youtubers de games mais famosos do Brasil, o Zangado, seguido por milhões de fãs que acompanham suas jogatinas e também pedem conselhos para o "tio", como ele é chamado de forma carinhosa pelos seguidores mais jovens.

Mas será que um dia o Zangado vai aposentar a máscara e seguir a vida apenas como Thiago, o engenheiro? "O tempo passa", diz o mascarado em entrevista ao UOL Jogos. "Hoje é o YouTube, mas a internet gira o tempo inteiro, os interesses das pessoas mudam".

"Hoje eu estou focado em fazer o que sempre quis, estou deixando minha marca, escrevi um livro. Mas você precisa entender que tudo tem o seu tempo. Mas eu não vou fazer as coisas pensando no final. A gente sente quando o tempo está passando e aí é a hora de parar".

Além do YouTube e da biografia, Zangado ainda planeja estrelar um game. "Mas isso vai ficar para o ano que vem", explica.

Reprodução
No YouTube desde 2009 e sem nunca mostrar o rosto, Zangado já usou três máscaras diferentes. A segunda, de Guy Fawkes, de "V de Vingança", foi a mais popular até agora.

Moda no mercado literário, as biografias de youtubers, vários bem mais jovens do que o cuiabano, são sucesso de venda com o público jovem. No livro "Zangado: O que é ser um gamer e como me tornei um", da editora Leya, o autor conta a trajetória da infância e adolescência nerd na capital do Mato Grosso, relembra os tempos de faculdade e como descobriu no YouTube e nos games uma válvula de escape para as frustrações da vida.

Colocar no papel os desentendimentos com o pai, as piadas dos colegas de escola (após cursar a 1ª e a 2ª série ao mesmo tempo, Thiago se tornou para sempre o aluno mais novo e menor de todas as salas de aula por onde passou) e outros problemas típicos de uma adolescência "nerd" não foi tarefa fácil.

"A cabeça do ser humano funciona de uma forma estranha", explica Zangado. "Você tem dias perfeitos que você não lembra, mas se te aconteceu algo ruim quando você tinha seis anos de idade, você se lembra para sempre, em todos os detalhes".

Para Zangado, abordar essas lembranças é uma coisa chata, mas necessária. "Preciso falar disso. Algumas pessoas vão se identificar, simpatizar comigo. Outras podem pensar em como eu consegui superar isso".

"A molecada comenta comigo: Nunca li um livro na vida, tirando os da escola, e vou ler o seu. Está estimulando um leitor mais jovem", aponta o youtuber. "Eu espero que esse livro seja uma porta para você ter vontade de continuar lendo, de comprar outros livros, é o que eu digo para eles".

Divulgação
A biografia de Zangado é a mais recente na moda dos "livros de youtubers" que assola o mercado editorial brasileiro.

Construindo a carreira no YouTube

Em seu livro, Zangado comenta os primeiros passos no YouTube, como foi elaborando as diferentes séries do canal e aprendendo com os erros e comentários do público. Leitores atentos encontrarão boas dicas do "tio" na leitura da biografia. Só não espere por um guia detalhado do que fazer - até porque Zangado sempre foi na contramão das "boas práticas" da plataforma de vídeos do Google.

"Eu fiquei dois anos e meio fazendo vídeos sem ganhar nada. Hoje, as pessoas veem como um trabalho, elas querem entrar nisso como um ganha-pão, um meio de pagar a conta de água, luz e telefone. Não é mais porque elas vão se divertir", diz. "E aí a pessoa força para ser engraçada ou pra tomar um susto. Tudo é forçado e o público sente quando é forçado. Você não precisa ser engraçado o tempo inteiro".

"Geração dos ofendidos"

Mais do que ganhar dinheiro com o YouTube, Zangado afirma no livro que seu sonho é ser uma voz para os mais jovens, um "tio" com quem eles podem conversar e um exemplo de vida.

Porém, o youtuber mascarado não é conhecido só por seus longos vídeos falando de games, mas também pelos comentários e postagens considerados misóginos no Facebook, onde acumula mais de 2,5 milhões de seguidores.

Reprodução
Entre a divulgação de um vídeo e outro, a página de Zangado no Facebook é pontuada por postagens misóginas e de apelo sexual. Para o youtuber, não há nada de errado nisso e quem reclama são pessoas que não acompanham o trabalho dele.

Questionado sobre que exemplo ele passa para os fãs mais jovens com essas atitudes, Zangado dispara: "Vivemos na geração dos ofendidos. Se você posta uma foto branca e pensa 'essa foto não vai ofender ninguém', vai vir alguém perguntar por que a foto não é preta".

"Nada que você fizer hoje em dia vai passar sem ofender alguém. O mundo é assim agora, é chato", afirma Zangado. "As pessoas lutavam por liberdade de expressão, mas hoje elas lutam para bloquear essa liberdade. Você não pode postar uma foto de uma mulher bonita que isso é considerado machismo. Ela não é bonita? Tem que ser admirada".

Zangado diz que em seu canal, 300 mil inscritos são meninas. "Quem reclama é quem não me acompanha, que não sabe de nada".

Zangado conta que assédio de fãs é comum em eventos; assista

  •  

Com 125 páginas e "do tamanho de um mangá", "Zangado: O que é ser um gamer e como me tornei um" está em pré-venda nas principais livrarias online. O livro sai por R$ 24 antes do lançamento, previsto para a primeira semana de setembro, quando o preço deve aumentar para R$ 30.

LEIA MAIS

UOL Cursos Online

Todos os cursos