Topo

Jogos

Análises

Colorido e tranquilão, "Sea of Thieves" é jogo divertido para PC e Xbox

Divulgação
Imagem: Divulgação

Pablo Raphael

Do UOL, em São Paulo

22/03/2018 04h00

Primeiro grande lançamento da Microsoft em 2018, "Sea of Thieves" é um jogo muito divertido e até mesmo relaxante feito pela produtora Rare, famosa por clássicos do passado, como "Donkey Kong Country", "Killer Instinct" e "Banjo-Kazooie".

No game, você é um pirata e ao lado de outros bucaneiros, vai explorar mares cheios de tesouros, esqueletos, vendedores engraçados e personagens caricatos típicos do estúdio britânico. Espere por batalhas navais contra outros grupos de piratas e até mesmo monstros marinhos!

VEJA TAMBÉM:

Entrar e jogar é fácil: você escolhe um pirata gerado de forma aleatória, decide o tamanho da embarcação e da tripulação e, se não tiver amigos jogando, "Sea of Thieves" procura um grupo para você. Não é a melhor saída, mas gente não falta, afinal o game é o primeiro na nova política da Microsoft em que os jogos da casa entram automaticamente no catálogo do Xbox Game Pass, a "Netflix de jogos" da empresa.

"Sea of Thieves" também permite partidas entre os jogadores no PC e no Xbox One. Ou seja, você sempre vai encontrar um bando de piratas com quem embarcar para altas confusões.

Melhor com os amigos

Você pode jogar "Sea of Thieves" sozinho ou com até mais 3 jogadores. A experiência ideal, porém, é jogar junto com os amigos, todos equipados com microfones para conversar e decidir o que fazer - ou pelo menos contar umas piadas e rir das situações que surgem pelo caminho. Parece bobo, mas assistir um esqueleto comer uma banana para depois explodir o pobre monte de ossos em pedacinhos é sempre divertido.

Divulgação
Você não consegue criar seu personagem, mas pode customizar o visual com os itens que descolar depois. Imagem: Divulgação

A cooperação faz toda a diferença no game: cada jogador pode propor e votar nas missões, ajudar a conduzir o navio e explorar as ilhas que surgem pelo caminho. Dá para fazer tudo sozinho, mas não é nem de longe tão divertido. Jogar com desconhecidos e sem microfones para conversar e coordenar a ação pode resultar em você ficando sozinho numa ilha vendo seu galeão ir embora (um tritão aparece no mar sinalizando para levar você até o barco) ou em outros jogadores correndo fazer as tarefas sem que você participe.

Claro, também pode terminar contigo fazendo novos amigos, mas normalmente o primeiro resultado é o mais provável.

No Brasil, "Sea of Thieves" tem legendas e menus em português. O texto é cheio de rimas "pirateiras" e exige um certo nível de interpretação, mas nada complicado de entender.

Subindo na vida

Você começa o jogo como um marinheiro inexperiente e vai cumprindo missões para as facções presentes no game. Cada uma tem objetivos específicos, como levar mercadorias, procurar por tesouros ou enfrentar esqueletos.

Divulgação
Caçar tesouros em ilhas cheias de mistérios é uma das atividades do game. Imagem: Divulgação

Cumprir missões rende pontos de reputação e moedas de ouro. Você precisa das duas coisas para adquirir equipamentos, roupas e peças mais legais para seu navio. Infelizmente, além da estética, nada disso faz muita diferença. Uma arma cara tem o mesmo poder de fogo de uma arma simples. É só um símbolo de status dentro do game, sinal de que você está jogando mais do que os outros.

As missões são simples no começo e vão ganhando complexidade conforme você fica mais experiente, mas "Sea of Thieves" deixa muito espaço para o improviso e para a exploração livre, rendendo aquelas situações divertidas e incríveis que só jogos multiplayer ou de mundo aberto são capazes de oferecer.

O game da Rare é as duas coisas e tem um visual colorido e caricato, perfeito para jogadores de todas as idades - e também para streamers e youtubers, público com quem a produtora flerta desde que revelou o jogo pela primeira vez.

Um mundo vivo

"Sea of Thieves" é um jogo muito mais bonito do que as telas de divulgação fazem parecer, principalmente se você joga no Xbox One X. As águas agitadas, chuvas e o ciclo de dia e noite passam um realismo inesperado ao jogo da Rare, ao mesmo tempo em que as ilhotas pintadas em cores fortes e habitadas por animais bonitinhos (e perigosos) são cheias de lugares para explorar.

Se aventurar pelos mares é uma experiência relaxante depois que você pega as manhas e a interface é simples e fácil de entender. Pena que o jogo ainda sofra com alguns problemas de conexão, que prejudicam o entendimento de alguns jogadores do que está rolando nesses primeiros dias ou deixam times inteiros sem receber um tostão pelas missões cumpridas.

Divulgação
Batalhas navais contra outros grupos de jogadores fazem parte da brincadeira. Imagem: Divulgação

A Rare está trabalhando para resolver esses problemas e tem um feito um trabalho incrível em escutar as sugestões da comunidade, seja no fórum oficial do game ou em redes sociais.

Muitas ideias dos fãs já foram implementadas no game, desde itens engraçadinhos como o "Day One Eye-patch", um tapa-olho feito como piada com os "patchs" de correção que os games recebem no lançamento, sugerido por um jogador no Reddit. Ou a opção de favoritar os modelos dos piratas enquanto escolhe qual vai usar, sugerida por um fã brasileiro no fórum do game durante o período de testes.

Assim como é padrão nos jogos atuais, "Sea of Thieves" vai continuar recebendo novos eventos e atualizações nos próximos meses. A ideia é manter a comunidade jogando e voltando para conferir as novidades - afinal, nos primeiros dias de aventura, não foram poucos os piratas que mataram o Kraken, polvo gigantesco que tinha tudo para ser o grande e misterioso chefão da temporada.

Nota: 8