Topo

Belo e divertido, "Pokémon Let's Go" homenageia os primórdios da série

Reprodução
Pokémon Let's Go Eevee! é uma das opções Imagem: Reprodução

Rodrigo Lara

Colaboração para o UOL Jogos, em São Paulo

11/10/2018 19h29

"Pokémon" já era um fenômeno tanto nos games quanto nos animes quando "Pokémon Yellow" aterrissou no Game Boy, em 1998. De lá para cá se passaram 20 anos, 15 jogos novos da franquia e o aguardado anúncio de uma versão do game para o Nintendo Switch.

Esse jogo chega na forma de "Pokémon Let's Go", em duas versões: Pikachu e Eevee. Os nomes, claro, fazem referência ao pokémon com o qual o jogador começa o game.

Mais do que um novo game, "Pokémon Let's Go" é uma espécie de homenagem a "Pokémon Yellow." A Nintendo reforça que não se trata de um remake, mas quem jogou o game clássico se sentirá imediatamente familiarizado com a novidade.

VEJA MAIS

Foi exatamente essa sensação que UOL Jogos teve ao jogar uma curta demo do game durante a BGS 2018. Foi impossível não se sentir nostálgico, ao mesmo tempo que o novo game traz aspectos que tendem a agradar os fãs mais fiéis da série.

No trecho jogado, a área explorada foi a clássica Viridian Forest. De cara, foi possível experimentar uma das principais novidades do game: o controle em forma de Pokébola. O item tem um direcional analógico para movimentar o personagem e navegar pelos menus do jogo - e também que pode ser pressionado para confirmar seleções - e um outro botão auxiliar. O item é sensível ao movimento e tem uma função bem interessante, como veremos adiante.

Outro ponto que "Pokémon Let's Go" inova é na hora de circular pelo mapa: nos jogos da série, tradicionalmente, entrar em áreas de vegetação mais alta gerava um risco de você entrar em uma batalha aleatória contra Pokémon selvagens.

Esse tipo de combate não existe mais em "Pokémon Let's Go". Agora, você pode circular tranquilamente por esses lugares pelo fato de que os Pokémon selvagens são visíveis no mapa e só entram em confronto com o jogador uma vez que há contato entre eles e o personagem controlado. E quando isso acontece, não há uma batalha: na verdade, você entrará em um modo de captura.

Lembra que falamos aqui em cima sobre o papel do controle em forma de Pokébola? Pois é nessa hora que o jogador pode "arremessar" a Pokébola, fazendo um movimento em direção à tela na tentativa de capturar o Pokémon. Aqui, há uma tremenda semelhança com "Pokémon GO": um círculo que vai diminuindo de tamanho mostra a hora ideal de arremessar a bola para ter a melhor chance possível de capturar o monstrinho.

É uma simplificação da tradicional mecânica da série de enfraquecer um monstro antes de tentar capturá-lo. Por outro lado, acertar o tempo, a força e a direção do arremesso requer uma dose de prática.

As batalhas, por sua vez, ocorrem contra outros treinadores e seguem o padrão da série. É interessante, no entanto, ver o nível de detalhes e animações, algo que realmente representa um avanço considerado para a franquia e mostra o potencial do Switch para jogos da série. Os pokémon do jogador também carregam itens estéticos para a luta, o que é uma motivação adicional para quem quiser personalizar seus companheiros.

Para completar, o game terá uma integração com "Pokémon GO", com os monstrinhos capturados no jogo para celular ficando disponíveis em uma área específica de "Pokémon Let's Go". Nela, é possível capturar novamente esses pokémon para que sejam usados no decorrer do game.

Ainda que curta, a experiência com "Pokémon Let's Go" deixou um gostinho de "quero mais". Felizmente, o jogo, exclusivo para Switch, chegará em breve: o lançamento está previsto para 16 de novembro.

Mais Jogos