Topo

"PUBG": 30 mil hackers são banidos, entre eles jogadores profissionais

Divulgação
Imagem: Divulgação

Do GameHall

24/12/2018 13h25

A PUBG Corp, responsável por "Player Unknown Battlegrounds", está há pelo menos um ano em uma cruzada sem fim contra os hackers. Esses jogadores usam de programas externos para ganhar vantagens não permitidas dentro das partidas do jogo, que nos casos mais comuns vão desde munição infinita até auxílios na hora de atirar.

Na última quinta feira essa saga ganhou mais um capítulo. O alvo da vez foi o chamado "Radar", um hack que permite que os jogadores peguem informações sigilosas do servidor e usem em um monitor secundário ou nos seus smartphones. Esse programa usa essas informações para fornecer a localização de todos os outros jogadores no mapa, o que em um jogo do gênero Battle Royale é uma vantagem muito grande.

Foram mais de trinta mil contas banidas de uma só vez. O que a PUBG Corp não esperava é que entre elas estivessem tantos jogadores profissionais. As regiões mais atingidas foram a Europa e a América do Norte, que tiveram diversos atletas afetados pelo martelo do banimento. O caso mais emblemático foi o do jogador  Can "TEXQS" Ozemir, que é jogador do Pittsburgh Knights. Desde que entrou na equipe, TEXQS ganhou cerca de 36 mil dólares em torneios e estava convidado para a European Pro League, que vale 1 milhão de dólares e acontecerá no início do próximo ano. O jogador foi suspenso pela equipe até que as investigações sejam finalizadas.

Reprodução/Twitter
TEXQS é jogador do Pittsburgh Knights e foi banido pelo uso de hack. Imagem: Reprodução/Twitter

Na América do Sul dois jogadores profissionais já noticiaram que também foram banidos, são eles: Americo "PAPAYA" Quintero, nascido no Panamá e que atualmente está sem time e Vladimir "Smitty" Venegas, chileno que joga pela Team Secret.

O fato é que para manter um ambiente de jogo saudável, a PUBG Corp deverá manter o ritmo de perseguição aos hackers, não importando se os afetados serão jogadores mais casuais ou os profissionais, mas essa estratégia pode manchar a imagem do jogo no competitivo. Se é isso que vai acontecer, só os próximos capítulos dirão.

Siga o UOL Jogos no

Mais Jogos