Topo

Mudou muito? Veja o que o novo "Resident Evil 2" tem a mais que o original

Divulgação
Imagem: Divulgação

Daniel Esdras

Do GameHall

2019-01-30T04:00:00

30/01/2019 04h00

"Resident Evil 2" foi lançado originalmente em 1998. Continuação direta do grande sucesso que foi o primeiro jogo da franquia, esse título também não decepcionou e garantiu o seu lugar cativo na memória dos jogadores daquela época. Se por um lado novatos e veteranos poderão apreciar o que o poderio das tecnologias modernas podem proporcionar a um clássico, os mais saudosistas também devem estar preocupados com quais mudanças foram feitas no jogo.

Várias dessas alterações já foram divulgadas e até mesmo mostradas, como na demo recente 1-Shot, onde os jogadores puderam experimentar várias novidades na jogabilidade e ter um gostinho das adições feitas em um local clássico do jogo que é a delegacia de Raccoon City. No entanto, tem varias outras surpresas guardadas que envolvem também a história, novas áreas e personagens, itens e armas e claro nos clássicos inimigos, prometendo um experiência nova mesmo aos jogadores veteranos. Confira as mudanças já confirmadas pela Capcom e os desenvolvedores desse jogo que promete demais para esse início de ano.

Mudanças na história

Se você é um jogador dos anos 90 e teve a oportunidade de jogar "Resident Evil" naquela época, provavelmente já conhece a história do jogo de trás para frente. Embora a maior parte dos eventos irão continuar pelo menos muito parecidos com os do jogo original, já foram confirmadas mudanças pontuais no enredo.

Conheça os 10 melhores games de 2018 para o UOL Jogos

Veja aqui

As alterações começam pelo próprio desenvolvimento dos personagens, dos secundários aos protagonistas como Leon. Um caso emblemático será a garotinha Sherry Birkin, que tem um papel muito importante na trama. Segundo Kazunori Kadoi, diretor do jogo, Sherry tinha apenas as camadas esperadas para uma criança daquela idade no título original e nada que desse de fato uma personalidade única para a garota. Já no remake, a garota demonstra os efeitos de uma criação distante do casal de cientistas Birkin e os traumas causados pelo terror que ela passa em Raccoon City. Ainda segundo Kadoi, uma das inspirações para criar as motivações e personalidade de Sherry foi a garotinha Newt do filme "Aliens, O Resgate".

Reprodução
Sherry Birkin terá motivações e uma personalidade que dará mais profundidade a personagem Imagem: Reprodução

Outro fator que demonstra que parte da narrativa foi modernizada é o fato de que serão inseridos novos personagens no jogo. Segundo Kadoi, "Resident Evil" foi uma franquia inovadora ao investir em uma narrativa complexa em jogos de terror nos anos 90, mas muito dos empecilhos tecnológicos e de orçamento impediram algumas vontades dos desenvolvedores. Com uma exigência maior em 2019 e recursos bem mais fartos e acessíveis, é natural que a obra seja melhorada e atualizada nesse novo título.

Novas Áreas

Além dos novos personagens, também teremos áreas que não estavam presentes no jogo original, ou que foram pouco exploradas por algum motivo na época.

Em um tweet recente, a Capcom revelou uma dessas adições ao mapa, que foi chamada de Orfanato. Em entrevista a Game Informer,  Tsuyoshi Kanda, produtor do jogo, revelou que além das áreas totalmente novas, teremos mais detalhamento também em áreas que  foram pouco exploradas no jogo original, onde o jogador acabou passando rapidamente. A ideia foi aproveitar as capacidades dos hardwares modernos para dar maior profundidade aos conceitos originais do jogo, que não puderam ser aproveitados nos anos 90 por conta das limitações técnicas. Um outro exemplo mais cômico é a adição de banheiros na delegacia, que virou um meme na comunidade.

Mudanças no Gameplay

Obviamente que a maior mudança será na jogabilidade. Diversos elementos do jogo original, que de fato são nostálgicos para quem experimentou na época, só foram utilizados por conta da limitação técnica e agora vão receber uma repaginada bem mais coerente com as tendências mais modernas para jogos do gênero. 

Sabe o que é roguelike? FPS? Loot? QTE? Entenda expressões usadas por jogadores

Aprenda

As mudanças mais óbvias ficaram por conta da câmera e das mecânicas de tiro. Nos anos 90 os controles sequer tinham como padrão os analógicos e muito menos sonhavam com os gatilhos que já são padrão nos shooters modernos. Por conta da questão gráfica, a escolha por uma câmera estática foi escolhida pela dificuldade de renderizar elementos em um hardware bem mais modesto, o que fazia a decisão final ser entre mais detalhamento da ambientação, que é importantíssima em um jogo de terror, ou menos liberdade de movimentação da câmera, em cenários pré renderizados. Com a melhoria significativa em todas esses frentes, foi possível realizar uma visão bem mais próxima do que sonhavam os desenvolvedores do título original.

A câmera agora segue o padrão para jogos de terceira pessoa, mas a movimentação ainda tem muito do que já é clássico na franquia desde os jogos da era do GameCube. Com esse tipo de liberdade para a visão, alguns novos elementos legais já foram vistos na demo mais recente. Em determinadas áreas da delegacia a iluminação é precária e Leon é obrigado a utilizar uma lanterna para conseguir enxergar, o que agrega muito ao clima de terror do jogo.

Reprodução
Em certas partes o jogador terá que encarar a escuridão com uma lanterna Imagem: Reprodução

Para reforçar ainda mais esse medo nos jogadores, os zumbis também tiveram modificações significativas. Primeiro em número. A quantidade deles foi reduzida em certas áreas e a intenção é usá-los para causar mais terror em momentos específicos. Uma outra mudança muito bem-vinda - se você tem o coração forte - é que agora eles também conseguem quebrar portas. Então nada de se esconder em outra sala para recarregar a arma ou recuperar a vida como no original.

Outras modificações legais foram na parte física. Existe uma variedade enorme de zumbis, que tem diferentes formas corporais, altura e idade aparente. A forma como a balística interage com os monstrengos é também um show a parte. Cada tiro demonstra o seu poder destrutivo quando atinge o corpo de um deles. Os disparos de pistola vão arrebentando as partes dos corpo aos poucos, enquanto os de escopeta pode partir um deles ao meio ou arrancar partes inteiras.

Reprodução
Zumbis agora não respeitam portas e vão tentar te pegar a todo custo Imagem: Reprodução

Os itens também vão ter diversas modificações. Além de itens novos de puzzle no cenário por conta do maior detalhamento das áreas, também teremos a adição de itens que só foram introduzidos depois na série, como a pólvora, que pode ser utilizada para criar munições. As armas também receberam um cuidado especial e terão diversas novidades que na época não passavam de sonho, como uma vasta customização que permite melhoria no dano, recuo, capacidade de munição e outras vantagens que já vimos em jogos mais recentes da série.

Reprodução
Itens que só foram introduzidos depois de RE 2 estarão no jogo, como a pólvora Imagem: Reprodução

Para fechar com chave de ouro vale citar que também teremos salvamento automático. No jogo original era preciso pegar fitas de tinta para conseguir usar as clássicas máquinas de escrever para salvar o jogo. Elas ainda estarão presentes, mas sem o mesmo impacto do original. Se você tem alguma nostalgia por essa mecânica, pode ter certeza que teremos um modo sem salvamento automático e algum troféu que pede para terminar o jogo sem salvar.

Isso tudo é apenas o que foi divulgado com detalhes. Sabemos que chefes do jogo como Mr. X e o crocodilo gigante terão comportamentos diferentes do jogo original, teremos puzzles novos e ainda várias mudanças que estão guardadas em segredo pela Capcom. Portanto mesmo quem já jogou muito esse clássico pode esperar uma experiência nova, com diferenças sim, mas de certa forma se mantendo fiel ao título original.

O remake de "Resident Evil 2" está disponível. O jogo foi lançado em 25 de janeiro para PS4, Xbox One e PC.

Siga o UOL Jogos no

Mais Jogos