Topo

"The Division 2" tem endgame muito melhor que antecessor, explica produtor

Divulgação
Imagem: Divulgação

Giuseppe Carrino

Do GameHall

2019-03-14T04:00:00

14/03/2019 04h00

Faltando poucos dias para a chegada de "The Division 2", o UOL Jogos teve a oportunidade de conversar com Nicholas "Nick" Scurr, produtor do game que está no Brasil para o lançamento do novo título da Ubisoft.

Ele nos contou vários detalhes sobre o jogo, especialmente envolvendo as novidades na jogabilidade. De acordo com Scurr, o endgame, que é o conteúdo acessado pelo jogador após o término da história principal, está bem melhor e acessível em comparação com o que vimos no primeiro "The Division".

Se você está ansioso por "The Division 2" ou então ainda não sabe bem o que esperar, separe uns minutinhos do seu dia e confira abaixo o bate-papo que tivemos com Nick Scurr a respeito do game.

Divulgação
Imagem: Divulgação

UOL Jogos: Primeiramente gostaria de saber exatamente o que mudou com relação as opções de criação de personagem?

Nick Scurr: No que diz respeito a criação de personagem em "The Division 2", há muito mais opções para o jogador. Nós quisermos dar ao jogador mais escolhas para criar personagens que se pareçam mais com eles. Por exemplo, temos tatuagens que podem ser colocadas em locais como pescoço. Há muito mais coisas nisso em comparação com o primeiro jogo, então acredito que as pessoas ficarão muito contentes e gastarão um bom tempo criando seu personagem.

UOL Jogos: Quais foram os principais aspectos aprendidos com o endgame de "The Division" que foram implementados na sequência?

Nick Scurr: Obviamente aprendemos muito ao longo do tempo com "The Division". Demos suporte para ele por alguns anos, ouvimos o feedback da comunidade havendo mudanças ao longo do ciclo de vida daquele jogo. Com "The Division 2" pegamos todas as melhorias que foram feitas e temos a maioria desses recursos disponíveis já no lançamento, como as recomendações, por exemplo. Era uma crítica comum que as pessoas terminavam o primeiro "The Division" e depois apenas ficavam repetindo as missões, querendo mais coisas para fazer, e nos levou certo tempo para colocar mais conteúdo no game.

Divulgação
Imagem: Divulgação

Com "The Division 2", tivemos o endgame em mente desde o começo, então quando começamos a trabalhar no jogo há dois anos nós sabíamos que poderíamos fazer uma boa campanha. Quisemos garantir que o que acontece quando o jogo acaba seria ótimo para o jogador, então pensamos em como o endgame seria e tivemos a ideia dessa nova facção que surge ao completar o jogo principal, que invadiria o mundo e tomaria todas as missões e bases que você já havia completado, fazendo o jogador voltar para estas missões, mas com uma nova narrativa, novos conteúdos, e este novo inimigo casca grossa que irá levar o jogador ao seu limite, tendo que jogar para obter novas armas e equipamentos para derrotar este sofisticado inimigo que tem os mesmos aparelhos e habilidade que o jogador possui, deixando tudo nivelado.

Além disso, temos uma árvore de progressão adicional, com três especializações - Demolitionist, Survivalist e Sharpshooter - no lançamento, cada uma fornecendo uma arma especial obtida no nível 30, sendo um lança-granada, uma besta explosiva e um poderoso rifle de atirador de elite. Além dessas armas, há uma árvore de progressão, o jogador ainda poderá ganhar experiência, melhorar suas armas, obter novas habilidades, novos itens cosméticos, exclusivos de cada uma destas especializações.

Divulgação
Imagem: Divulgação

UOL Jogos: Você falou sobre melhorar as armas. Então se um jogador encontrar uma arma que realmente gosta, poderá continuar usando-a no endgame?

Nick Scurr: Sim há isso, mas sempre haverá novos conteúdos, muitas armas diferentes e quando ele chegar ao endgame começará a vasculhar o mundo em busca de equipamentos melhores ou então construir novos equipamentos, havendo muitos lugares onde o jogador pode encontrar itens. O mundo aberto, as missões, a Dark Zone, PvP. Há muitas opções para o jogador obter os equipamentos que deseja.

UOL Jogos: Há alguns meses foi dito que a Dark Zone em "The Division 2" sofreria uma revisão no sistema de recompensas. Isso quer dizer que os itens obtidos serão mais significativos ao jogador em comparação com o primeiro game?

Nick Scurr: O sistema de recompensas na Dark Zone é o mesmo do mundo aberto. Não queríamos que fosse exclusivo da Dark Zone para o caso de alguns jogadores ainda não se sentirem à vontade de ir até lá. Dito isso, deixamos a Dark Zone muito mais acessível. Temos três Dark Zones em "The Division 2" porque os cenários são muito mais variados, ao ponto de cada Dark Zone lhe passar uma sensação diferente. Quando o jogador for até lá pela primeira vez, haverá uma missão de curta duração que introduzirá o jogador àquela Dark Zone, com quase todos os elementos de jogabilidade daquele lugar, sem interferência de outros jogadores, havendo apenas inimigos controlados pela inteligência artificial, de modo a deixar o jogador à vontade.

Divulgação
Imagem: Divulgação

Depois disso, sempre que o jogador encontrar itens, não precisará ser sempre extraído. No primeiro "The Division", você tinha de encontrar os itens e extraí-los por meio do helicóptero. Se você gastou uma hora lá e morrer nesse momento, poderá se sentir bastante frustrado. Agora temos equipamentos que precisam ser extraídos e outros que vão diretamente ao seu inventário, então não será uma perda de tempo se você for morto.

Da mesma forma, o nivelamento de níveis continua normalizado. Sou um personagem nível 30 com um rifle de assalto e você é um personagem nível 2 com um rifle de assalto, ambos daremos o mesmo dano, então é igual para todos, não importando quanto tempo você tenha jogado.

No entanto, para aqueles que preferem uma experiência Dark Zone hardcore ao chegar no endgame, uma delas estará ocupada e a Dark Zone ocupada irá mudar ao redor do mapa, mas se você entrar lá encontrará fogo amigo, assim como a ausência do nivelamento de níveis e nenhuma regra.

Divulgação
Imagem: Divulgação

UOL Jogos: Como está o sistema de renascimento dos inimigos? Digamos que eu mate alguns inimigos em um lugar próximo de um ponto seguro, aí alguém que eu não vi me mata. Todos os inimigos estarão de volta quando eu retornar até lá para resumir o que eu estava fazendo?

Nick Scurr: Se você renasceu, o jogo lembrará que alguns inimigos foram mortos e outros não, mas se um dos inimigos for do tipo médico, ele poderá ter revivido seus aliados quando você retornar até aquele ponto, portanto esse tipo de inimigo precisa ser abatido com prioridade para que isso não aconteça.

UOL Jogos: Como está o balanceamento das armas e equipamentos para o PvP?

Nick Scurr: Uma novidade em "The Division 2" é que todos os conjuntos de equipamentos terão bônus para PvP e para PvE, que nos permitem ver os benefícios em cada um, para garantir que não sejam muito poderosos em uma determinada situação. Esta é a forma que estamos tratando os equipamentos nesse jogo.

Divulgação
Imagem: Divulgação

UOL Jogos: Sobre a campanha, ela será majoritariamente linear ou haverá alguma liberdade na ordem que você pode fazer as coisas? Existem modos distintos para realizar uma missão ou algo do tipo?

Nick Scurr: Sim, há muita liberdade. Obviamente o mundo é separado por níveis como um RPG, então se você tentar ir até a última área do jogo, será morto muito rapidamente. Você pode tentar fazer isso, mas provavelmente não sobreviverá. Dentro de cada uma das áreas do jogo, você pode abordá-las da maneira que preferir, seja falando primeiramente com os líderes dos assentamentos ou então com as pessoas na base de operações, todos eles precisam de coisas feitas por você que aparecerão como missões no mapa, ou seja, você terá as missões principais, as opcionais e as atividades de mundo aberto como pontos de controle ou resgatar pessoas mantidas reféns. Tudo isso podendo ser feito na ordem que você quiser.

UOL Jogos: Você pode contar um pouco mais sobre a facção endgame Pata-Negra? A história sobre ela irá se desenrolar ao longo do primeiro ano de vida do game?

Nick Scurr: Uma parte estará disponível já no lançamento. A medida que você for jogando a campanha, receberá algumas informações a respeito, envolvendo um inimigo oculto que você não sabe qual é. Quando você terminar a campanha e libertar a cidade ao derrotar as Hienas, os Exilados e os Herdeiros, é nessa hora que os Patas-Negras decidem tirar vantagem da situação e atacam, já que você acabou com todos os inimigos para eles. Ao longo de sua luta contra eles, há uma narrativa mostrada quando você joga as missões que explica quem eles são e para quem trabalham, mas obviamente não quero dar spoilers a respeito, mas definitivamente abordará parte do conteúdo extra planejado para o primeiro ano do game. Pouco tempo após o lançamento, teremos a atualização Tidal Basin, que contém a base de operações da Pata-Negra em Washington e depois disso virá a raid Operation Dark Hours.

Divulgação
Imagem: Divulgação

"The Division 2" será lançado totalmente em português nesta sexta-feira (15) para PC, PS4 e Xbox One.

Mais Jogos