Topo

Cinco coisas que não podem faltar em "Star Wars Jedi: Fallen Order"

Reprodução
Imagem: Reprodução

Giuseppe Carrino

Do GameHall

2019-04-16T04:00:00

16/04/2019 04h00

Os últimos anos não foram nada felizes para "Star Wars" nos jogos, com a Electronic Arts tendo aproveitado muito pouco a franquia da Disney.

Primeiro, ela lançou "Star Wars: Battlefront" em 2015, sem qualquer conteúdo single player. Depois disso, em 2017, veio a sequência, que acabou sofrendo com o uso excessivo de microtransações. Ainda por cima, surgiram relatos de que projetos envolvendo a série teriam sido cancelados.

Por isso "Star Wars Jedi: Fallen Order", anunciado no dia 13 de abril, surge como uma boa notícia. Tal qual o nome do Episódio IV da saga dos cinemas, a última esperança está agora com a Respawn Entertainment, do excelente "Titanfall 2", jogo dotado de uma das melhores campanhas individuais para jogo de tiro lançadas nos últimos anos, e também "Apex Legends", que chegou como um furacão no disputadíssimo universo battle royale.

Junto com o trailer de "Fallen Order" vieram outras informações animadoras: foco na campanha, promessa de não ter multiplayer, nem microtransações ou itens cosméticos. O jogo deve chegar em 15 de novembro para PC, Xbox One e PlayStation 4.

Situado logo após os eventos do Episódio III e com a Respawn no comando, o jogo tem tudo para resgatar a ótima sensação que era jogar um game baseado em "Star Wars" no passado. Desde que, é claro, ele não deixe de fora cinco elementos essenciais que listamos abaixo.

Um história de verdade

Reprodução
Imagem: Reprodução

Vamos ser francos. Embora "Star Wars" tenha recebido mais conteúdo cinematográfico nas últimas décadas, nenhum deles supera a trilogia original, seja na história ou nos personagens. Queremos que "Fallen Order" nos entregue uma experiência similar nesse aspecto, assim como aquelas que vivemos no passado em games como "Star Wars: The Force Unleashed", "Dark Forces", "Knights of the Old Republic" e "Jedi Knight: Jedi Academy".

A sensação de ser Jedi

Reprodução
Imagem: Reprodução

Visuais são importantes, claro, mas se um dos objetivos de "Fallen Order" é fazer com que "qualquer um realize a sua fantasia Jedi", esperamos isso seja a prioridade da Respawn. "Sekiro", da FromSoftware, por exemplo, faz você se sentir um ninja. Se a Respawn conseguir essa façanha com a temática Jedi e criar uma jogabilidade fácil de aprender mas desafiadora de se dominar, estaremos diante de um jogo que pode entrar para a história.

Verticalidade

Reprodução
Imagem: Reprodução

Com tantos jogos optando por mundos abertos (às vezes vazios), o fato de "Fallen Order" não ter seguido esse caminho foi uma opção inteligente da Respawn. Com isso ela consegue fazer com que os designers foquem na criação de uma experiência linear mais imersiva na hora de elaborar as fases. "Sekiro" e o último "Doom" mostraram recentemente que linearidade, quando bem utilizada, com bastante verticalidade nos cenários, proporciona muita diversão.

Personagens marcantes

Reprodução
Imagem: Reprodução

Criar personagens memoráveis não é uma tarefa fácil. Esperemos que Cal Kestis, protagonista de "Fallen Order", consiga cumprir esse papel, da mesma forma que Starkiller fez com maestria em "The Force Unleashed", e Kyle Katarn em "Dark Forces" e "Jedi Knight".

Lutas icônicas contra chefes

Reprodução
Imagem: Reprodução

Assim como precisamos de protagonistas fortes em tudo que leva o nome de "Star Wars", o mesmo vale para os vilões. Com uma antagonista aparentemente poderosa como a "Segunda Irmã", membro de uma ordem de exterminadores de Jedi conhecida como Inquisidores, desejamos ver no jogo encontros com chefes que sejam significativos. Que o combate seja emocionante, que o desfecho seja recompensador, da mesma forma que acontece nos filmes.

Siga o UOL Jogos no

Mais Jogos