Topo

Jogos

Mobile

Como "Candy Crush" faz US$ 40 milhões por mês mesmo sendo gratuito

Divulgação/King
Imagem: Divulgação/King

Pedro Henrique Lutti Lippe

Do UOL, em São Paulo

22/09/2017 04h00

É nos jogos grátis que mora o dinheiro. Foi isso que as produtoras de games para celulares descobriram ao longo dos últimos anos.

Nos primórdios das lojas de aplicativos para smartphones, jogos como "Angry Birds" e "Cut the Rope" faziam sucesso sendo vendidos a um dólar cada. Mas o modelo de negócios ficou ultrapassado: eliminar totalmente o custo de entrada de jogos como "Candy Crush Saga" e "Clash Royale" aumentou exponencialmente o total de jogadores... e também o rendimento.

Segundo estimativas da Think Gaming, "Candy Crush Saga" gera mais de US$ 40 milhões para os bolsos da produtora King todos os meses. Eles ainda revelam: dos 50 jogos de celulares que mais lucram, 50 podem ser baixados de graça.

Mas como é que essas empresas fazem tanto dinheiro com jogos grátis?

  • Reprodução

    Tempo é dinheiro

    Você pode jogar de graça. Mas jogar quando e quanto você quiser? Só pagando. Quem quer se divertir na faixa precisa se acostumar a esperar.

    O tempo é uma arma poderosa nas mãos das produtoras. Elas usam o relógio para limitar as ações dos jogadores. Quer que essa construção nova no "Clash of Clans" fique pronta em menos de 24 horas? Abra a carteira.

  • Reprodução/Niantic

    Moedas feitas para confundir

    A conversão de dinheiro real para as moedas 'premium' que compram benefícios nos jogos grátis nunca é clara. A ideia é bem simples: não deixar o jogador saber exatamente quanto dinheiro ele está gastando com cada item no game.

    Em "Pokémon GO", US$ 100 compram 14,5 mil PokéCoins, que podem ser usadas para comprar incensos a 80 PokéCoins a unidade. Quanto custa um incenso em dinheiro real? Vai saber.

  • Reprodução

    "Você tem certeza de que quer perder?"

    Em jogos como "Monster Strike", você pode pagar por uma segunda chance. Ou então pode jogar fora todos os itens e o progresso que conseguiu até agora nesta fase, e tentar de novo mais tarde.

    É uma estratégia comum em games grátis 'premiar temporariamente' os jogadores, e depois ameaçar tomar de volta tais prêmios.

  • Reprodução

    Caçando baleias

    O tipo de jogador favorito das produtoras chama-se "baleia". São os maiores gastadores - de acordo com a Swrve, os 0,15% do total de usuários que pagam mais de 50% dos rendimentos dos jogos grátis.

    De acordo com reportagem da Forbes, vale tudo para que eles coloquem a mão no bolso: até mesmo aumentar sorrateiramente os preços para usuários que já se mostraram dispostos a pagar anteriormente.