Topo

Bloqueio a acesso 'offline' em "Diablo III" gera polêmica e debate sobre futuro dos jogos

Théo Azevedo

Do UOL, em São Paulo

17/05/2012 11h36

Na madrugada da última terça-feira (15), muitos fãs brasileiros de “Diablo” ficaram acordados e online para acompanhar o ansiado retorno do RPG de ação após 12 longos anos de hiato. Às 4h da manhã, com o jogo devidamente comprado, baixado e instalado – viva a distribuição digital -, a Blizzard enfim liberou o acesso à “Diablo III” e... deu pau. Adivinha só? Sobrecarga nos servidores. Em todo o mundo.

Em instantes, mensagens de erro numeradas (37, 3003 e por aí vai) se propagaram pela internet e fizeram muita gente ir dormir frustrada. Paciência. Eventualmente “Diablo III” ficou online e, por agora, com uma instabilidade aqui e outra acolá, muita gente já está esmigalhando o mouse por Nova Tristram e seus arredores.

Ok, faz parte do jogo enfrentar instabilidades, manutenções etc. Mas isso quando se tratam de multiplayer ou MMOs. No caso de “Diablo III”, por mais louvável que seja a integração com a Battle.net – vide os saves sincronizado, combate à pirataria e a Casa de Leilões -, ainda há muitas pessoas que preferem a experiência single-player. E neste caso, se você quiser jogar “Diablo III” ao melhor estilo ‘forever alone’, ainda assim precisa estar conectado à internet.

Diablo III
Diablo III
#dev_albumEmbed015('tagalbum','38911+AND+16715')

Como bem colocou o Kotaku, “não temos mais o poder de decidir quando nosso jogo começa ou não”. E não estamos falando apenas do lado da Blizzard e de seus servidores: e se a sua conexão com a internet cair? Melhor procurar outro jogo, pois com “Diablo III” você ficará na mão. Além disso, uma conexão mais lenta pode sofrer com problemas de sincronia, lag e tudo mais, mesmo em se tratando de uma experiência single-player (!!!).

Entretanto, é inegável que este fato aponta para uma direção talvez inevitável no futuro dos jogos: a exigência de estar permanentemente conectado à internet. Quem tem boa memória talvez se lembre do lançamento de “Half-Life 2”, em 2004, que causou certa polêmica por ser o primeiro game offline a exigir uma autenticação online para funcionar – o Steam ainda era uma criança.

Agora há rumores que os próximos PlayStation e Xbox entrarão na onda e também exigirão conexão permanente à internet. No PC, com a distribuição digital, tal caminho parece inevitável: "SimCity" é um dos próximos da lista a impedir o acesso do mundo offline.

Claro que, nos dias de hoje, é impossível imaginar uma vida sem internet. Mas bloquear o single-player, ainda que embasado por argumentos convincentes, incomoda e até assusta um pouco. Basta ver que, até o momento, “Diablo III” tem enfrentado a crítica do público em sites como o Metacritic. Excluído o fator “mimimi”, é algo que não deve ser ignorado e, sobretudo, merece atenta observação no desenrolar dos fatos.

VEJA A VIDEOPRÉVIA DE "DIABLO III"

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Jogos