Topo

Sai, modinha: jogos como o filme Black Mirror existem e estes são melhores

Arte/UOL
Videogames exploram há muito tempo o conceito usado pelo filme interativo de "Black Mirror" Imagem: Arte/UOL

Do GameHall

2019-01-14T04:00:00

14/01/2019 04h00

No final do mês de dezembro de 2018 a Netflix estreou em seu catálogo "Black Mirror: Bandersnatch", filme (ou jogo?) que promove a interatividade e permite ao telespectador escolher os rumos do protagonista.

Para muitas pessoas essa experiência foi uma agradável novidade, mas não para os fãs de videogames que já estão acostumados com essa fórmula interativa de escolhas, que tem representantes desde as décadas de 80 e 90.

Quão distante estamos do futuro da série tecno-paranoica?

As invenções recentes
Tomar escolhas significativas é uma ferramenta narrativa em diversos gêneros de jogos, com origens games de aventura clássicos. Hoje em dia elas podem ser encontradas em jogos de ação-aventura, RPGs e nas versões modernas de jogos de aventura, que são os que "Bandersnatch" mais se aproxima.

Separamos aqui 13 jogos que se destacam justamente pela interatividade e pela possibilidade da tomada de diferentes escolhas por parte dos jogadores. Confira!

1 - Dragon's Lair

Reprodução
Utilizando a tecnologia LaserDisc, "Dragon's Lair" foi lançado em 1983 nos arcades Imagem: Reprodução

Para começar essa lista nada melhor do que um clássico! Lançado em 1983 para arcades, trata-se de uma animação interativa, cujo designer era Don Bluth, um ex-animador da Disney. O jogador controla o cavaleiro Dirk, que tem como missão resgatar a princesa Daphne, onde era necessário selecionar as ações corretas para o herói passar para a próxima cena. O jogo fez um enorme sucesso e abriu as portas para vários títulos semelhantes como "Space Ace", "Time Gal", "Road Avenger", "Cobra Command", entre outros, que ficaram mais conhecidos em versões caseiras para o Sega CD.

2 - The Secret of Monkey Island

Reprodução
"The Secret of Monkey Island" foi um dos maiores sucessos da LucasArts na década de 90. Imagem: Reprodução

Um dos jogos mais populares entre os "micreiros" dos anos 90, "The Secret of Monkey Island" foi desenvolvido pela saudosa LucasArts e tem como herói principal Guybrush Threepwood, um jovem que sonha em se tornar um pirata, explorando ilhas fictícias e resolvendo quebra-cabeças. O game recebeu várias sequências e um remake em 2009. A LucasArts lançou vários títulos do gênero, conhecidos como adventure ou apontar-e-clicar, onde o jogador escolhe as ações e movimentação do herói.

3 - Snatcher

Reprodução
"Snatcher" é uma aventura cyberpunk idealizada por Hideo Kojima Imagem: Reprodução

Outro clássico concebido por ninguém menos que Hideo Kojima, criador de "Metal Gear Solid". Lançado em 1988 para MSX2 e PC88, o jogo se tornou mais popular em sua versão para Sega CD em 1994, pois era a única disponível em inglês na época. Ambientado em um futuro cyberpunk, o jogo tem muitas referências de filmes como "Blade Runner" e "O Exterminador do Futuro", onde o jogador controla as ações de um policial sem memória na busca pelos Snatchers - robôs assassinos com aparência humana.

4 - Full Throttle

Reprodução
"Full Throttle" foi criador por Tim Schafer, fundador da Double Fine Imagem: Reprodução

Mais um da LucasArts, lançado em 1995 e desenvolvido por Tim Schafer (seu primeiro projeto como líder), que mais tarde seria o fundador da Double Fine - que lançou uma versão remasterizada do jogo em 2017. A história se passa em um futuro apocalíptico e tem Ben, o líder de uma gangue de motociclistas, como protagonista. Curiosidade: Mark Hamill, o Luke Skywalker da saga espacial "Star Wars", dubla o vilão Adrian Ripburger.

5 - Heavy Rain

Reprodução
"Heavy Rain" reinventou os jogos interativos, agora com pegada cinematográfica Imagem: Reprodução

No final dos anos 90 o gênero deu uma esfriada, mas reapareceu de forma reinventada com "Heavy Rain" da Quantic Dream, lançado em 2010 para PS3. A narrativa é centrada em quatro protagonistas envolvidos com um misterioso assassino. O jogador interage com ações e sequências de comandos destacados na tela, além de decidir os rumos da história que podem levar a cenas e finais diferentes.

6 - L.A. Noire

Reprodução
"L.A. Noire" possui uma ambientação inspirada em filmes investigativos das décadas de 40/50 Imagem: Reprodução

Em 2011 a Team Bondi e a Rockstar lançaram "L.A. Noire", jogo que segue a mesma fórmula de "Heavy Rain", com grande enfoque na narrativa, porém com uma ambientação inspirada em filmes investigativos noir produzidos entre as décadas de 1940/1950. O jogo utiliza uma tecnologia de animação facial criada para o game, que ajuda principalmente na hora de interrogar suspeitos e testemunhas de um crime, onde o jogador tem a opção de acreditar, duvidar ou acusar a pessoa de estar mentindo.

7 - The Walking Dead

Reprodução
"The Walking Dead" foi um dos maiores sucessos da finada Telltale Games Imagem: Reprodução

No começo dos anos 2000, a finada Telltale Games, que contava com profissionais que trabalharam na LucasArts, lançou vários títulos episódicos, mas foi com "The Walking Dead" em 2012 que ela realmente chamou a atenção. O jogo é ambientado no mesmo universo da popular série de TV, porém apresentando personagens originais e exclusivos como a jovem Clementine. Tanto em cenas de diálogos como de ação, o jogador tem um tempo limitado para escolher as ações dos personagens, o que pode mudar os rumos da história.

8 - Life Is Strange

Reprodução
"Life is Strange" ganhou o público com sua mecânica de viagem no tempo Imagem: Reprodução

Em 2015 a Dontnod Entertainment e a Square Enix lançaram "Life Is Strange", jogo episódico que mostra a história de Maxine, uma estudante de fotografia que descobre possuir a habilidade de voltar no tempo em qualquer momento, fazendo com que cada escolha sua crie um efeito borboleta. O jogo foi um grande sucesso e recebeu uma sequência em 2018, além de contar com o prequel "Life Is Strange: Before the Storm" e o derivado "The Awesome Adventures of Captain Spirit".

9 - Until Dawn

Reprodução
"Until Dawn" utiliza bem a fórmula filmes de terror + adolescentes Imagem: Reprodução

Para quem gosta de jogos de terror e dramas adolescentes, "Until Dawn" de 2015 certamente é uma boa pedida. O jogador acompanha a história de um grupo de adolescentes que passam a noite em um chalé isolado nas montanhas, sem perceberem que estão sendo perseguidos por um psicopata. O jogo utiliza um sistema chamado "Efeito Borboleta", onde cada escolha do jogador causa diferentes consequências, e finais diferentes no desenrolar da história.

10 - Beyond: Two Souls

Reprodução
"Beyond: Two Souls" impressiona pela quantidade de detalhes técnicos nas animações e narrativa Imagem: Reprodução

Após o sucesso de "Heavy Rain", a Quantic Dream retornou em 2013 com "Beyond: Two Souls", trazendo outra aventura de drama-interativo abordando questões sobre o que acontece depois da morte e o sobrenatural. A personagem principal, Jodie Holmes, é interpretada pela atriz Ellen Page. O jogo segue o mesmo esquema do seu precursor, com enfoque na narrativa e nas escolhas do jogador na progressão da aventura.

11 - Her Story

Reprodução
O jogo indie "Her Story" foi aclamado pela crítica por sua narrativa e mecânicas não convencionais Imagem: Reprodução

Lançado em 2015 para PC e sistemas iOS e Android, o jogo independente "Her Story" chamou a atenção por se tratar de um filme interativo, que mostra uma trama envolvente, onde o jogador investiga um antigo assassinato acessando depoimentos de uma mulher em um banco de dados da polícia. Recebeu os prêmios de Melhor Narrativa e Melhor Performance para a atriz Viva Seifert no The Game Awards 2015.

12 - Batman: The Telltale Series

Reprodução
"Batman: The Telltale Series" revela um desgaste na fórmula da Telltale Games Imagem: Reprodução

Em 2016 um dos mais icônicos heróis da DC Comics ganhou uma aventura inédita e episódica da Telltale, onde as ações e escolhas do jogador determinarão o destino de Bruce Wayne e seu alter ego Batman. O jogo recebeu uma segunda temporada em 2017, chamada "Batman: The Enemy Within".

13 - Detroit: Become Human

Reprodução
o scifi "Detroit: Become Human" é um dos mais recentes títulos que aborda a interatividade com o jogador Imagem: Reprodução

Um dos lançamentos mais recentes que abordam a interatividade com o jogador é "Detroit: Become Human", lançado em 2018 pela Quantic Dream, que entrou em produção após a boa recepção de "Beyond: Two Souls". A história é ambientada no ano de 2038 e lembra um pouco a de "Snatcher", com foco em três androides que mudarão o destino da cidade de Detroit dependendo das escolhas do jogador, enquanto testemunham o nascimento de uma nova raça, os Divergentes - androides que manifestam emoções humanas.

Siga o UOL Jogos no

Mais Jogos