Topo

Jogos

Análises

Jogo Rápido: "Octopath Traveler" é ótima homenagem aos RPGs dos anos 1990

Divulgação
Octopath Traveler Imagem: Divulgação

Rodrigo Lara

Colaboração para o UOL Jogos

25/07/2018 04h00

O jogador desavisado que olhar para a TV enquanto cenas de "Octopath Traveler" estiverem sendo exibidas provavelmente vai achar que o game roda em um Super Nintendo. E, ainda que haja um abismo técnico entre o console de 16-bits e o bastante moderno Nintendo Switch, a comparação aqui é totalmente elogiosa.

Lançado em 13 de julho e disponível na Loja Nintendo por R$ 233,19, o RPG da Square Enix é uma verdadeira homenagem a jogos como "Final Fantasy VI", especialmente se considerarmos o aspecto estético - uma mistura agradável de pixels, planos em duas dimensões e alguns aspectos em 3D.

VEJA TAMBÉM

Isso, em conjunto com o sistema de batalha, são os pontos nos quais o game transborda carisma, trazendo qualidades para agradar jogadores mais saudosos, sem se deixar levar totalmente pelo aspecto retrô.

Por outro lado, há aspectos que mereciam uma atenção maior, como o desenvolvimento da narrativa. De qualquer maneira, vamos esmiuçar nos próximos parágrafos o que o game tem a oferecer.

Divulgação
"Octopath Traveler" tem uma versão moderna de gráficos clássicos da era 16 bits Imagem: Divulgação

O clássico e o novo

Como dito aqui acima, o visual de "Octopath Traveler" nos leva a uma viagem aos anos 1990. Além disso, a estrutura do game em si, com exploração linear, combates aleatórios e sistema de evolução dos personagens são características que remetem totalmente aos RPGs japoneses clássicos.

Por outro lado, o game traz adições interessantes à fórmula. Tomemos, por exemplo, o seu aspecto mais interessante: o sistema de combate.

Ainda que seja por turnos, ele tem uma boa dose de estratégia ao usar um sistema de vulnerabilidades. Cada inimigo tem algumas fraquezas, que podem ser ataques com determinados tipos de armas ou magias de certos elementos. Uma vez que o jogador acerte esse inimigo com uma certa quantidade de golpes usando a arma ou o poder relativo à sua fraqueza (essa quantidade varia de acordo com o adversário), ele terá sua defesa quebrada, ficando vulnerável e sem agir por um turno.

Divulgação
Combate traz modernizações que não existiam em RPGs japoneses clássicos Imagem: Divulgação

Isso implica que mesmo em combates triviais o jogador terá que pensar para escolher qual arma ou habilidade se encaixa melhor com a situação.

Há um sistema de profissões - que lembra vagamente "Final Fantasy Tactics" -, sendo que cada personagem começa com uma distinta. Cada profissão permite que sejam realizadas ações específicas, como roubar, criar remédios a partir de itens, capturar monstros ou convencer pessoas a te ajudarem em batalha.Assim, é preciso pensar bem na hora de escolher qual será sua equipe principal, sendo que quatro personagens participam das batalhas. O ideal é sempre ter um grupo capaz de lidar com os mais variados tipos de inimigos e situações.

História fragmentada

O aspecto mais controverso de "Octopath Traveler", no entanto, é a sua história. Não pela qualidade narrativa em si, mas pelo formato.

Como o nome do game deixa claro, há oito "caminhos", cada um representado por personagens. O que rola durante o jogo são histórias individuais de oito pessoas com motivações bem diferentes. O jogador, basicamente, avança nessas linhas narrativas.

Divulgação
"Octopath Traveler" aborda a história dos oito personagens jogáveis Imagem: Divulgação

Essa escolha, por um lado, aprofunda a história de cada um dos personagens e faz com que o jogador se envolva com e eles e também os desenvolva mais. Em contrapartida, faltam momentos nos quais os personagens interagem entre si e se juntam contra uma ameaça comum, como ocorre, por exemplo, nos jogos da série "Final Fantasy".

Sim, é clichê a história de "um grupo de heróis que se une para salvar o mundo". Ainda assim, em um jogo que homenageia o legado de um gênero, o que menos importaria é uma história clichê.

De qualquer maneira, "Octopath Traveler" é um game que merece ser jogado. Se você é fã de RPGs japoneses e sente saudades da diversidade e oferta de jogos do tipo nos anos 1990, pode ter certeza de que esse é um jogo que te garantirá dezenas de horas de diversão.

Confira o trailer de lançamento do game