Topo

Jogos

PC

Game Awards da emoção: jogos favoritos a prêmios focam dramas humanos

UOL Jogos
Jogos deste ano têm histórias de mexer com o coração Imagem: UOL Jogos

Rodrigo Trindade

Do UOL, em São Paulo

06/12/2018 04h00

Maduro e consolidado, o The Game Awards (TGA), considerado o "Oscar dos Games", chega à sua quinta edição nesta quinta-feira (6). Depois de atingir 11,5 milhões de espectadores no ano passado, o evento que terá início às 23h30 (de Brasília) - com transmissão AO VIVO do UOL Jogos - terá uma disputa apertada pelo principal prêmio da noite, o de jogo do ano.

UOL Jogos, que faz parte do júri que escolheu os finalistas, fará transmissão oficial do evento, com narração em português e comentários de Rafael Queiroz, gerente da Team Liquid, organização de eSports com equipes no FPS da Ubisoft, "League of Legends", "CS:GO", entre outros games. Você pode acompanhar tudo no nosso canal do YouTubeGuarde este link para acompanhar tudo

Enquanto em edições passadas a premiação teve como temas os jogos de tiro (2016), games com foco em mecânicas refinadas (2017) ou a disputa acirradíssima pela taça (2015), a de 2018 conta com histórias de mexer com o coração, ainda que de maneiras diferentes.

Exceto "Monster Hunter: World", que é um jogo com foco no combate a monstros gigantes, seja sozinho ou em equipe, os outros cinco indicados ao momento mais aguardado da noite têm em suas histórias um grande foco. Todas elas têm um cunho emocional, que é explorado de diferentes maneiras.

Celeste e Assassin's Creed Odyssey

O indie "Celeste", por exemplo, é um jogo de plataforma 2D com estilo gráfico 8-bit, mas isso não o impede de narrar a jornada de Madeline na desafiadora escalada da montanha Celeste. O motivo da menina se submeter à aventura arriscada é puramente pessoal: superar suas ansiedades e depressão, obtendo uma sensação de conquista ao chegar ao topo da montanha.

"Assassin's Creed Odyssey" adota uma abordagem distinta. Antes de mais nada, cuidado com os spoilers. Não vamos entrar em detalhes, mas se você quiser experimentar o jogo "fresquinho", melhor pular esse parágrafo e o próximo. A jornada na Grécia antiga é protagonizada ou por Alexios, ou Kassandra. Irmãos e descendentes do Leônidas - aquele mesmo do filme "300" -, eles foram separados na infância e tomaram caminhos diferentes na vida.

O reencontro é um ponto significativo da história, já que a relação não é lá muito fraternal e traz uma boa dose de tensão. Muito do passado dos dois também é mostrado, reforçando o foco familiar da história.

Siga o UOL Jogos no

God of War

Falar de família é lembrar imediatamente de "God of War", que foi brilhante ao trazer novas camadas à personalidade do protagonista Kratos. Antes um bruto, sanguinário com alguns resquícios de humanidade, o espartano se refugiou em outra mitologia para recomeçar a vida com a família. Mas a tragédia o persegue, já que o game começa com a morte de Faye, sua segunda mulher.

A narrativa gira em torno da relação de Kratos com o filho Atreus. Pai e filho, eles definitivamente não se dão bem no começo, mas o espartano, em especial, vai aprendendo como cuidar de Atreus em um mundo hostil. Em paralelo a isso, outra relação familiar, esta maternal, é apresentada no meio da aventura, que preparou o terreno para um novo arco da franquia "God of War".

Siga o UOL Jogos no

Spider-Man

"Spider-Man" é meio que uma mistura de uma narrativa mais introspectiva, como a de "Celeste", combinada com a questão da família. Como você deve saber, Peter Parker é órfão e criado pelos tios, sendo que o Tio Ben é morto por criminosos. É o enredo de sempre, mas a Insomniac Games decidiu saltar esse momento trágico e mostrar um Homem-Aranha mais veterano, com anos de experiência.

A relação com a Tia May é um dos principais arcos emocionais do game, que também lida com as inseguranças de Peter Parker, que tem um caso conturbado com Mary Jane. O herói fala sozinho sobre essas dúvidas sobre a vida amorosa, sente o peso de ocultar fatos de May e tenta equilibrar tudo isso com a difícil tarefa de salvar Nova York de uma série de gangues.

A história tem reviravoltas e uma série de momentos tocantes, que deixaram a gente ansioso para as expansões do game e uma sequência - está na cara que tem uma a caminho.

Siga o UOL Jogos no

Red Dead Redemption 2

Por fim, precisamos falar das grandes confusões de "Red Dead Redemption 2". O aguardado game da Rockstar trouxe figuras conhecidas como John Marston, Dutch Van der Linde e Bill Williamson, mas misturou elas com os novatos Charles Smith, Sadie Adler e, como esquecer, Arthur Morgan. A gangue se envolve em enormes confusões no Velho Oeste americano, mas mostra muito coração em suas relações interpessoais.

Visitar o acampamento é sinônimo de encontrar a galera reunida em torno da fogueira, cantando enquanto alguém toca violão. Alguns parceiros ficam vagando bêbados, outros confrontam o jogador sobre acontecimentos do dia a dia... a variedade dá vida à gangue, repleta de figuras com uma personalidade bem definida.

O resultado é a criação de empatia ou rejeição (essa é para você, Micah) aos colegas de acampamento, que acabam tendo destinos completamente diferentes na narrativa. "Red Dead Redemption 2" tem momentos de amizade, amor, traição, raiva e, é claro, redenção. Um pacote cheio quando o assunto é emoção.

Siga o UOL Jogos no

Quem leva?

Esse é o tema recorrente dos principais games de 2018, candidatos ao maior prêmio da noite e a muitos outros. Mais cotados a levar o troféu para casa, "God of War" e "Red Dead Redemption 2" receberam oito indicações, enquanto "Spider-Man" levou sete.

Vamos saber o vencedor na madrugada de sexta-feira, horas depois da transmissão do Game Awards começar. Parte do júri internacional do evento, o UOL Jogos irá transmitir e contar tudo o que rolar nele ao vivo.

Enquanto ele não começa, você pode opinar nos comentários e votar na enquete a seguir em quem merece ser eleito o Jogo do Ano de 2018.

Qual deve ser o jogo do ano do Game Awards 2018?

Enquete encerrada

Total de 7730 votos
3,18%
1,57%
26,14%
1,95%
40,79%
26,36%
Total de 7730 votos